Austrália e Nova Zelândia revelam detalhes da candidatura conjunta para a Copa do Mundo de Futebol Feminino em 2023 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Austrália e Nova Zelândia revelam detalhes da candidatura conjunta para a Copa do Mundo de Futebol Feminino em 2023

Compartilhe

Mais detalhes foram anunciados sobre a candidatura conjunta da Austrália e da Nova Zelândia para a próxima edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino, que será disputada em 2023.

Para garantir condições ideais de jogo, eles propuseram realizar o torneio entre julho e agosto, quando é inverno ameno nos dois países. Isso também significaria que o evento não entraria em conflito com outros grandes torneios internacionais de futebol masculino.

Seriam realizados quatro grupos em cada país, minimizando as distâncias de viagem para equipes e torcedores. Na Austrália, Perth, Adelaide, Melbourne, Launceston, Sydney, Newcastle e Brisbane foram propostas como cidades-sede, ao lado de Auckland, Hamilton, Wellington, Christchurch e Dunedin na Nova Zelândia. O jogo de abertura aconteceria em Auckland, enquanto Sydney receberia a final.

"A participação de mulheres e meninas no esporte e na liderança fortalece a Nova Zelândia como nação, e queremos mostrar isso ao sediar a Copa do Mundo. Ao lado da Austrália, daremos as boas-vindas e abraçaremos o mundo organizando um torneio extraordinário, criando um legado para as mulheres e para o futebol em nossos países e muito além", disse a primeira-ministra da Nova Zelândia Jacinda Ardern.

"Juntos, a Austrália e a Nova Zelândia podem oferecer uma Copa do Mundo espetacular. Este evento verá as melhores jogadoras do mundo inspirando mais mulheres e meninas a participarem do esporte. Garantiremos que o evento crie um impacto genuíno em toda a região. Os legados serão profundos e duradouros", disse o primeiro-ministro australiano Scott Morrison.

Japão, Brasil e Colômbia também apresentaram propostas, enquanto as Coreias, Argentina e África do Sul desistiram do processo no período que antecedeu o prazo. A FIFA deveria escolher o anfitrião em seu congresso em junho, que agora foi adiado por três meses devido à pandemia de coronavírus.

Foto: Divulgação/Twitter

Nenhum comentário:

Postar um comentário