Ciclista Henrique Avancini recebe troféu do PBO e projeta Tóquio 2020: ‘confiante, mas tranquilo para realizar meu trabalho’


Depois de uma temporada muito competitiva – e positiva –, chegou a hora de uma pequena pausa antes de recomeçar o trajeto rumo à Tóquio 2020. Henrique Avancini, eleito melhor atleta do ciclismo mountain bike em 2019, finalmente recebeu o troféu da premiação. Foi na última terça-feira (18), em visita ao Laboratório Olímpico, para uma sessão de preparação mental com a psicóloga Alessandra Dutra. O atleta de Petrópolis, no Rio de Janeiro, fez um balanço da temporada em que priorizou a constância, e conquistou a terceira colocação geral na Copa do Mundo e terminou o ano na segunda colocação no ranking mundial.

“Competi bem de fevereiro até outubro. Ponto bastante positivo porque me vejo num processo de evolução no alto rendimento. Isso foi algo que a gente conquistou e refletiu nos resultados. Foi um ano bastante consistente, de grande crescimento, com poucas falhas grandes e pra uma modalidade como o mountain bike, isso é extremamente importante. Para mim eu vejo mais como um ano de crescimento que de realização. Me coloca numa posição bastante boa para que eu almejo para o futuro”, analisou.

Como sempre faz questão de destacar, o trabalho de preparação mental foi fundamental para a conquista dos resultados. Nesse ano, Avancini ainda destacou que a pré-temporada pode fazer a diferença nos Jogos Tóquio 2020. Todo o trabalho realizado previamente, deixa o ciclista tranquilo para o ano olímpico.

“Estamos colocando em prática tudo que a gente construiu na temporada passada e, principalmente, na pré-temporada desse ano. Estou muito satisfeito com tudo que eu fiz de desenvolvimento e de teste de equipamentos pro ano, todas as alterações que a gente fez na preparação mental e fisiológica, meu corpo está mais equilibrado que nunca e isso, obviamente, reflete na tranquilidade para encarar uma temporada tão importante. Essa é a maneira que eu me sinto: supermotivado, mas muito calmo”.

“Nosso trabalho acontece desde 2015 e desde então tem sido algo planejado de forma contínua. Estamos num estágio muito legal desse acompanhamento, que reflete o estágio da minha carreira como um todo. É extremamente motivador entrar numa temporada olímpica me sentindo tão amadurecido em várias áreas e acredito que o ponto inicial e o ponto final para realizar isso é ponto mental”, comentou.

Avancini chega à Espanha nesta quarta para a disputa da Copa Catalã. Na sequência, ainda tem Copa Internacional em Araxá (MG) e o Cape Epic, na África do Sul. A vaga olímpica só será confirmada no final de maio, mas com a posição do Brasil no ranking mundial, é muito difícil que o país não conquiste essa vaga e que Avancini não seja o representante – ou um dos representantes - do país no mountain bike. Para ele, a experiência de ter vivido os Jogos Rio 2016 o deixa bastante tranquilo para alcanças os objetivos no Japão.

“Tudo que passei na Rio 2016 e nos anos seguintes, com o crescimento da minha carreira, acho que me colocou numa situação de maturidade esportiva de chegar no ano olímpico confiante, muito motivado, mas bastante tranquilo e calmo para realizar meu trabalho. Confio demais nas pessoas que tão do meu lado nessa reta final. E me sinto bastante pronto para fazer a reta final de preparação e chegar no Japão na melhor forma que eu já tenha alcançado na minha carreira”, completou.

0 Comentários