Provas da maratona paralímpica e do triatlo serão mantidas em Tóquio - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

O Comitê Paraolímpico Internacional (CPI) confirmou a realização das provas de maratona dos Jogos Paraolímpicos Tóquio 2020 na capital nipônica, diferente dos Jogos Olímpicos que confirmaram a alteração do local, enviando as provas para Sapporo ao norte do país em virtude das altas temperaturas no período das competições.

"A saúde e o bem-estar de nossos atletas são uma prioridade para nós o tempo todo e, antes de tomar a decisão final de manter os testes da maratona paralímpica em Tóquio, era vital analisar todos os dados relevantes e conversar com os próprios atletas"disse o presidente do CPI, Andrew Parsons. "As condições meteorológicas, que foram revisadas pelo Comitê Médico do CPI, revelaram que as temperaturas durante a realização dos testes de maratona estavam dentro de todos os limiares para uma concorrência segura e ideal".

Segundo o presidente, a decisão foi tomada depois da conversa com os atletas que optaram, em sua maioria, por ficar em Tóquio. "Como muitos atletas de maratona também competem em provas de pista durante os Jogos, uma mudança seria logisticamente difícil para eles". Além disso a maratona como um evento gratuito é uma forma de agradecer o apoio dos moradores da capital japonesa ao Movimento Paralímpico desde a escolha da sede, há seis anos atrás.

O CPI e os organizadores de Tóquio 2020 confirmaram depois da consulta a União Internacional de Triatlo, os horários de início dos eventos da modalidade nos dias 29 e 30 de agosto. As provas começarão às 7h30min, uma hora depois do programado no início. As primeiras corridas envolverão as classes de atletas que, devido ao seu impedimento, são os mais afetados pelo calor.

Parsons também está convencido de que os próximos Jogos serão históricos. "Todos os ingredientes estão aqui em Tóquio para os melhores Jogos Paralímpicos até hoje, Jogos que transformarão Tóquio e o Japão para sempre, impulsionando a inclusão social em todo o mundo", concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário