Coluna Surto Mundo Afora #20 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Por Bruno Guedes

Tênis
Roland Garros é conhecido como Aberto da França, mas poderia ser Aberto do Rafael Nadal. O espanhol ganhou dez vezes o torneio. Só que desta vez terá o desafio aumentado. Isto porque o alemão Alexander Zverev, terceiro no ranking mundial aos 21 anos, e o austríaco Dominic Thiem, oitavo do mundo aos 24, são as maiores ameaças ao Touro Miúra. Desta vez, Novak Djokovic chega em má fase, demonstrando desgaste físico e psicológico devido aos últimos anos, quando conviveu com lesões e problemas.

O sérvio passou o último ano com uma grave lesão no cotovelo, levando-o a uma cirurgia em fevereiro de 2018. Nadal, que não tem nada com isso, dominou o tênis nesta temporada. Das quatro competições anteriores a Roland Garros, só não ganhou justamente o Masters 1.000 de Madri, em casa. Quem o eliminou? Justamente Thiem, nova ameaça nos saibros franceses.

Há alguns anos se questiona sobre a nova geração do tênis, mas lá se vão 10 que Federer, Nadal e Djokovic se revezam entre os melhores. Eventualmente o britânico Andy Murray tentou furar esse trio. Mas agora o que vemos é de fato uma leva renovada de tenistas jovens e promissores.

Federer já aparenta problemas em controlar as ações do tempo sobre seu corpo, apesar de ainda estar voando tecnicamente. Djokovic está em má fase e lutando contra lesões. Nadal é ainda o nome que brilha, ainda que tenha perdido meses por causa de recuperação física.

Como será o amanhã? Responda quem puder. Mas Zverev e Thiem querem responder no saibro de Roland Garros.

Basquete

Lenda. Assim pode ser definido Lebron James. Com seu Cleveland Cavaliers duas vezes ameaçado de perder a final da Conferência Leste para o Boston Celtics, o americano "colocou a bola embaixo do braço" e decidiu. De novo. É a oitava final seguida de Lebron, já contando seus anos no Miami Heats.

É um privilégio para poucas gerações poder desfrutar de jogadores lendários como James. Se antes dele falávamos de como era bom assistir ao Michael Jordan, depois falaremos como era ver Lebron. O impacto dele para a posteridade é algo incalculável. Desfrutemos.

E a final será contra o trio não menos talentoso do Golden States Warriors. Uma final que se repete pela quarta vez seguida. Uma dinastia em suas Conferências. A Oeste foi vencida apenas no sétimo jogo, quando o Houston Rockets fez o possível, mas não conseguiu parar Stephen Curry, Kevin Durant e Klay Thompson.

São jogos para contarmos aos netos daqui a décadas. São jogadores para todas as vidas que ainda teremos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário