Victoria Azarenka adia retorno às quadras e sua participação no Australian Open 2018 é incerta


A bielorrussa Victoria Azarenka não poderá disputar o WTA de Auckland, que acontece na primeira semana do ano, e teve que abrir mão do convite oferecido pelos organizadores.

Azarenka ainda está em disputa judicial pela guarda do filho Leo, que completou um ano neste mês de dezembro. Por conta disso, Azarenka não pode deixar o estado da Califórnia, onde reside, com a criança. Isso já a fez desistir de vários torneios no fim do ano passado, incluindo o US Open e as finais da Fed Cup.

"Há um processo em andamento, que está sendo muito bem documentado, e o resultado disso é que Victoria não poderá estar aqui na semana que vem", disse o diretor do torneio Karl Budge ao portal Stuff.

"Sabemos que é difícil para ela, que está treinando duro, é uma jogadora profissional e quer jogar tênis. E também é difícil para nós, que estávamos ansiosos para ter alguém de seu calibre no torneio", acrescentou o executivo.

Apesar da má notícia, Budge afirma que a própria tenista já manifestou interesse em disputar o torneio no futuro. "Nós conversamos hoje e ficou bem claro que ela gostaria de voltar em 2019".

O diretor do torneio deverá anunciar nos próximos dias quem herdará o convite que estava reservado à Azarenka. As principais atrações em Auckland serão Caroline Wozniacki, Julia Goerges e Agnieszka Radwanska. A brasileira Beatriz Haddad Maia também está garantida na chave principal.

Já Azarenka, que aparece atualmente no 210º lugar do ranking da WTA e disputou apenas dois torneios em 2017, em Mallorca e Wimbledon, tem reservado um convite para o Australian Open. Bicampeã do Grand Slam australiano, a ex-número 1 deverá se pronunciar se jogará ou não em Melbourne nos próximos dias.

Foto: Eurosport


Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024 Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco! Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!
To Top