Venus Williams é inocentada em acidente de carro que matou uma pessoa em junho

A tenista norte-americana Venus Williams não vai responder em tribunal pela morte de uma pessoa em um acidente de trânsito ocorrido em junho, na Flórida, Estados Unidos.

A polícia considera que nenhum dos condutores dos veículos teve culpa da colisão que aconteceu num cruzamento, após um terceiro carro não identificado ter bloqueado a passagem do veículo conduzido pela antiga número 1 mundial quando ela tentava cruzar uma estrada com seis faixas, provocando uma sucessão de acontecimentos que culminaram com o automóvel de Linda Barson a bater no carro de Venus do lado do passageiro.

Venus Williams e a condutora do outro veículo não ficaram feridas, mas o marido de Linda Barson acabou por falecer 13 dias depois. Inicialmente a polícia disse que Williams teve culpa por não dar a preferência, mas em julho a corporação mencionou o surgimento de indícios em vídeo que mostraram que a tenista entrou no cruzamento corretamente e que um carro não envolvido na colisão a forçou a parar no cruzamento. A luz do semáforo mudou e um sedã que atingiu o automóvel de Williams passava com a luz verde.

Jerome  Barson, passageiro de 78 anos de um sedã que se chocou com a SUV que a tenista dirigia, morreu 13 dias após o acidente de 9 de junho. Sua esposa, Linda Barson, de 68 anos, estava ao volante. A família Barson iniciou uma ação civil acusando Williams de morte acidental.

O advogado da tenista, Malcolm Cunningham, afirmou que "o relatório da polícia avaliou que Williams dirigia a 8 km/h" no momento da batida e que sua cliente não foi indiciada. "É um acidente lamentável e Venus manifesta suas condolências à família, que perdeu um de seus membros", disse Cunningham ao jornal "Miami Herald"


foto: Getty Images
Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024 Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco! Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!
To Top