Noruega se recusa a enviar controladores anti-doping para PyeongChang 2018

A Noruega está se recusando a enviar controladores anti-doping para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de PyeongChang por falta de remuneração.

De acordo com a Aftenposten, a agência anti-doping da Noruega está cansada da confiança atual em voluntários não remunerados, em vez de pagar por controladores oficiais para o cumprimento de seu papel.

Organizações de outros países como a Suécia não seguiram o exemplo da Noruega mas lançaram críticas a situação atual.

"Se você vender direitos de TV para este acordo por bilhões de dólares, então pensamos que é errado pagarmos pelos controladores de doping noruegueses para ajudar com os controles" disse o executivo-chefe da Anti-doping Norway, Anders Solheim.

"Um inspetor deve receber um salário razoável e sua viagem paga pelas três semanas em que ele estará."

"Ao não pagar controladores de doping, os organizadores dependem de fato de voluntários."

"O trabalho antidoping não deve ser uma profissão voluntária para aqueles que querem."

"Está minimizando a prioridade do nosso trabalho, e estamos cansados ​​disso."

O homologo anti-doping da Suécia, Matt Richardson, criticou a situação mas não se juntou ao boicote.

"É ruim, absolutamente, pedir aos inspetores que paguem por si mesmos", disse Richardson a Expressen.

Em Sochi 2014 e na Rio 2016 houveram falhas graves no controle anti-doping, em Sochi o doping patrocinado pelo estado culminou num alto ganho de medalhas da Rússia.

Foto:Anti-doping Norway


Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024 Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco! Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!
To Top