Mundial de Judô 2017 - Dia 3 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Mundial de Judô 2017 - Dia 3

Compartilhe
O terceiro dia do Mundial de Judô, que está sendo realizado em Budapeste (HUN), não trouxe bons resultados para o Brasil. A campeã olímpica Rafaela Silva, deu azar no torneio e lutou de cara contra a medalhista de bronze no Rio e uma das mais experientes atletas do judô, a portuguesa Telma Monteiro.

Em um chaveamento que é definido por ranking, nem sempre atletas de mesmo nível se enfrentam apenas nas fases finais. Telma Monteiro, uma das melhores atletas do mundo na categoria -57kg, dona de três pratas e um bronze em mundiais, além do bronze olímpico, teve problemas no ombro e ficou  meses sem lutar, caindo consideravelmente no ranking. Na sua volta, lutou logo no primeiro combate contra a brasileira Rafaela Silva, uma das cabeças de chave, em uma luta que pelo nível das atletas deveria acontecer apenas nas disputas por medalhas. Em uma disputa muito estudada, a portuguesa conseguiu pontuar por wazari e fugir de uma chave de braço logo em seguida, para vencer a luta e eliminar Rafaela.

Outro brasileiro no dia foi Marcelo Contini, pela categoria - 73kg, e assim como Rafaela, também deu azar no sorteio. Na estreia da categoria, o brasileiro lutou contra o duas vezes medalhista olímpico - ouro em Londres e bronze no Rio - Lasha Shavdatuashvilli, da Geórgia. Em uma luta com poucos golpes, a disputa foi definina nas punições. Os dois estavam empatados com dois shiddôs até os segundos finais, quando Marcelo levou uma terceira punição por evitar a pegada do adversário, sendo assim eliminado.

Finalmente saiu um ouro não japonês na edição húngara do mundial de judô. A vice campeã olímpica dos Jogos do Rio, a mongol Sumyiaa Dorjsüregiin venceu um disputa emocionante a japonesa Tsukasa Yoshida. Em uma luta com direito a quatro minutos de tempo normal e nove no golden score, Sumyiaa aplicou um wazari em um contra golpe na japonesa, para se tornar a única não nipônica campeã mundial até agora na competição deste ano. Os bronzes foram para França e Grã Bretanha, em vitórias de atletas jovens sobre judocas consagradas. A francesa Helene Roceveaux derrotou por um wazari justamente Telma Monteiro, que não repetiu o terceiro lugar conquistado nos Jogos Olímpicos. Já a britânica Nekoda Smythy-Davis aplicou dois wazaris e um ippon para finalizar a luta contra a alemã naturalizada panamenha Myriam Roper, que esperava conquistar a primeira medalha importante para sua nova nação.

Se no feminino o Japão não subiu no topo, no masculino os nipônicos colocaram mais uma vez seu hino para tocar na Laszlo Papp Arena. Soichi Hachimoto derrotou na final o vice campeão olímpico no Rio Rustam Orujov do Azerbaijão. A luta foi bem equilibrada e a vitória do japonês foi com um wazari no tempo normal, se tornando o quinto ouro japonês em seis disputados até agora. Nas disputas do bronze, a primeira luta foi vencida pelo coreano An Chang-rim por dois wazaris contra o georgiano Lasha Shavidatuashvilli, algoz do brasileiro Marcelo Contini. Na outra luta, mais uma medalha para a Mongólia, com triunfo de Odbayar Ganbaartaryn sobre o azeri Hidayat Heydarov, com um wazari no golden score.

Na quinta-feira (31) teremos três brasileiros em ação nos tatames húngaros. Na categoria -81kg, Victor Penalber tenta novamente subir ao pódio em mundiais depois do bronze em 2015. A estreia será contra o sul-africano Dale Whittaker. Falando em estreia, o jovem Eduardo Yudi lutará pela primeira vez em mundias, pela mesma categoria, encarando o canadense Etienne Briand. Pela mulheres na -63kg, Ketleyn Quadros, bronze em Pequim 2008, tentará conquistar a primeira medalha em mundiais de sua carreira, enfrentando na primeira luta a equatoriana Estefania Garcia, campeã dos Jogos Pan-Americanos de Toronto em 2015.

Foto: Confederação Brasileira de Judô


Nenhum comentário:

Postar um comentário