Troféu Maria Lenk de Natação 2017 - Dia 2 - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Troféu Maria Lenk de Natação 2017 - Dia 2

Compartilhe
Com os nadadores buscando vagas no Mundial de Esportes Aquáticos, que será realizado em Budapeste (HUN), teve prosseguimento nesta quarta-feira (3) o Troféu Maria Lenk de Natação, que está acontecendo no Rio de Janeiro.

Guilherme Guido, melhor nadador de costas do país, confirmou o favoritismo e deu mais uma vitória ao Pinheiros, nos 100m costas. Na versão feminina, vitória da argentina Andrea Berrino, da Unisanta.

"Minha frequência foi baixa, tentei subi-la, mas minha passagem foi doída. De manhã foi bem melhor a natação. Acredito que a equipe para o Mundial será maior que os oito iniciais. Está apertado pra mim, pois tem ainda os 100m livre, que deve colocar dois e ainda os 50m livre, o que mais ameaça. Se a equipe aumentar para uns 12 nomes, tenho mais chances de entrar. É uma novidade esperar as provas de outros estilos pra saber se vai entrar na delegação. Antes, só pensava no costas, mas temos que entender o momento atual e esperar que ano que vem, volte a ser como antes. Acho difícil levarem o reveza medley, mas gostaria que fosse, pois o que faltava era um tempo melhor no borboleta e conseguimos"  concluiu Guilherme Guido.

Outros resultados já esperados foram os triunfos dos olímpicos Joanna Maranhão e Thiago Simon, ambos da Unisanta, nos 200m medley. A segunda colocação ficou com jovens de prestígio: Brandonn Almeida, do Corinthians, no masculino, e Gabrielle Roncatto, no feminino, esta última também do clube de Santos.

"Hoje queria um pouco mais no medley, tive um errinho bobo, que me desconcentrou, mas essa marca foi boa. Melhorei minhas provas de ontem, hoje fiz a minha melhor marca dos 200m livre, nadando abaixo de dois minutos, o que eu queria muito. Está sendo uma competição de quebrar marcas e conquistar coisas novas, o que eu achei que não ia dar mais" comentou Joanna Maranhão.

Entre os homens, Thiago Simon, que mais tarde voltou a piscina no revezamento 4x200m livre, comentou seu resultado. "Eu não sentia uma felicidade desta desde o Pan-Americano de 2015. Há cinco anos atrás eu vinha nadando essa prova, e o peito começou a surgir e por isso mudei para o peito. A minha melhor marca era 2m00s33, já nadei três vezes para isso, e hoje veio 1m59s49, quase um segundo abaixo. Eu treino mais peito mesmo, mas acreditei em todo trabalho com o técnico Felipe, treinamos muito bem e o resultado veio" analisou.


Nas provas longas não olímpicas, a gaúcha Viviane Jungblut, do Grêmio Náutico União, venceu os 1500m livre (16m27s57), superando a dupla de ouro da maratona aquática brasileira, Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha, ambas da Unisanta, e que completaram o pódio, nesta ordem. 

"Gostei muito. Foi minha melhor marca pessoal, pena que faltou um pouco pro recorde brasileiro (de Poliana em 2013, com 16m26s90). Foi por pouco, alguns pequenos detalhes numa prova longa. Vamos ver se na próxima, vai. Nadar com Ana Marcela e Poliana é muito bom, pois sou fã das duas e cada vez aprendo mais, tanto na piscinas como nas maratonas" revelou Viviane, que vai disputar a seletiva das maratonas aquáticas para o Mundial de Budapeste, daqui a uma semana, em Foz do Iguaçu/PR, tanto nos 5km como nos 10km, novamente tendo as duas como adversárias. 

No masculino, um pódio todo do Minas Tênis nos 800m livre, com Lucas Kanieski no lugar mais alto, seguido de Miguel Valente e Diogo Villarinho, em seu primeiro pódio no Maria Lenk. "Gostei muito da prova de hoje, estava um pouco mordido pelo resultado dos 400 (livre), mas essa prova foi muito boa. Melhor ainda ver eles do meu lado, no final, porque somos realmente uma equipe. Treinamos juntos e estamos muito felizes" comentou Lucas Kanieski

A noite terminou com os revezamentos 4x200m livre, ambos vencidos pela Unisanta. No masculino, o time da Universidade Santa Cecília, de Santos, formado por Leonardo de Deus, Thiago Simon, Felipe Ribeiro de Souza e Guilherme Costa, venceu em 7m15s54, estabelecendo um novo recorde de campeonato. A marca anterior era do Pinheiros, em 2015, com 7m16s67. " Eu e o Leo de Deus viemos para o “Santa”, em que eu já havia nadado em 2007, e eles nos receberam de braços abertos. Pegamos uma equipe com meninos novos, voando, e fomos campeões, com o recorde da prova" completou Thiago Simon

Foto: Divulgação


Nenhum comentário:

Postar um comentário