Últimas Notícias

Surto História - A primeira zebra africana olímpica no futebol


Antes de Nigéria e Camarões eliminarem favoritos e faturarem o ouro olímpico nos Jogos Olímpicos de Atlanta 1996 e Sydney 2000, uma outra seleção já tinha aprontado e vencido uma temida equipe europeia nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988. Vamos falar da Seleção da Zâmbia, que viu uma geração de jogadores surgir para o futebol mundial em um jogo contra a Itália.

A Zâmbia estava em um grupo com boas condições de classificar para a próxima fase. Iraque e Guatemala eram adversários que podiam ser vencidos. Já diante da cabeça-de-chave Itália, a vitória era algo inimaginável até então. 

Na estreia, Zâmbia empatou em 2 a 2 com o Iraque. Na segunda rodada, o jogo era contra os italianos. Uma seleção que tinha bons jogadores, como Tacconi, Rizziteli, Carnevale e Roberto Baggio, que figurariam na seleção principal italiana nos anos 90. 

A Zâmbia entrou ligada no jogo - ao contrário dos italianos, que acharam que venceriam a qualquer momento - e logo marcaram o primeiro gol. Sob o comando de Kalusha Bwalya, o selecionado zambiano deu um show. Bwalya protagonizou uma atuação de gala, sendo responsável por marcar três gols e a Zâmbia fechou o placar por 4 a 0.

A Zâmbia ainda fez outro 4 a 0, em cima da seleção da Guatemala, e se classificou em primeiro, com os italianos em segundo. A Seleção africana virou a sensação do torneio, jogando um futebol ousado e irreverente. 

Nas quartas de final a Zâmbia teria pela frente a forte seleção da Alemanha Ocidental. Os germânicos não se preocuparam com o status de surpresa do rival e enfiaram uma goleada de 4 a 0, com direito a três gols de Klinsmann. Assim o sonho dos zambianos chegava ao fim, apesar de que a surpreendente campanha nos Jogos já serviu para deixar a população da nação em festa.

A seleção de Zâmbia foi recebida com muita festa no país. Com a boa atuação nas Olimpíadas, vários jogadores foram contratados por times europeus. Bwalya virou jogador do PSV Eindhoven, da Holanda, e continuou sendo o craque da seleção.

Infelizmente, essa grande geração de jogadores teve um fim trágico. Nas eliminatórias para a Copa de 1994, Zâmbia disputava a vaga com Marrocos, e quando viajava para o Senegal disputar mais uma partida das eliminatórias o  avião em que eles estavam caiu e todos os tripulantes do avião morreram, em uma tragédia que marcou para sempre a história do futebol africano. Bwalya e Charly Musonda foram os únicos remanescentes daquela geração, pois não estavam no avião. Eles ainda tentaram classificar a Zâmbia para a Copa, mas não conseguiram.

O feito de Zâmbia mostrou um caminho mais fácil para as seleções africanas brilharem, já que a Copa do Mundo era um caminho mais tortuoso. Nos jogos olímpicos de Barcelona 1992, Gana conquistou uma medalha de bronze, a primeira medalha olímpica de uma seleção africana. Em 1996, Nigéria foi campeã olímpica, assim como Camarões foi nos Jogos seguintes, em Sydney.

A seleção da Zâmbia ainda foi campeã da Copa Africana de Nações 2012 e dedicou esse título a todos que perderam a vida no desastre aéreo de 1993. Veja abaixo os gols da partida entre Zâmbia e Itália:

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar