Últimas Notícias

No ano olímpico, seleção brasileira de Tênis de Mesa busca repetir dois últimos Mundiais por equipes


No final de fevereiro, a seleção brasileira embarca em seu maior desafio antes dos Jogos Olímpicos do Rio: o Mundial por Equipes, em Kuala Lumpur. Na Malásia, os nossos mesatenistas buscam repetir o desempenho histórico atingido nos dois últimos Mundiais, no Japão (2014) e na China (2015).

Em maio de 2014, a equipe formada por Ligia Silva, Jessica Yamada, Caroline Kumahara e Lin Gui fez uma campanha praticamente impecável e levou o título inédito da segunda divisão do Mundial por Equipes, em Tóquio.

A cereja do bolo foi o triunfo sobre a Suécia na decisão, por 3 partidas a 0, que coroou uma grande campanha. Na final, Lin superou Linda Bergstrom por 3 a 0 (11/8, 11/8 e 11/5), Jessica bateu Jennifer Jonsson por 3 a 1 (11/8, 9/11, 11/5 e 11/5) e Carol sacramentou a conquista de forma emocionante, diante de Matilda Ekholm, por 3 a 2 – parciais de 3/11, 11/8, 12/10, 6/11 e 11/9.

Foi justamente contra a Suécia que o Brasil obteve sua única derrota na competição, ainda pela fase de grupos (3 partidas a 1). Diante dos outros adversários, porém, a seleção não deu chances: 3 a 0 sobre Eslovênia, Grécia, Peru e Uzbequistão.

Na fase final, 3 a 2 sobre o Egito nas oitavas de final; 3 a 1 sobre a Índia nas quartas; e a vitória mais apertada na sequência, também a mais importante, 3 a 2 sobre a Tailândia na semifinal – quando a vaga na elite foi conquistada.

Em 2015, em Suzhou, foi a vez de Cazuo Matsumoto e Thiago Monteiro reescreverem os livros de história do tênis de mesa brasileiro, que após 61 anos voltou a ter uma dupla entre as oito melhores do planeta.  

O resultado datava de 1954, quando a parceria formada por Dagoberto Midosi e Ivan Severo também havia chegado às quartas. Em solo chinês, Cazuo e Thiago testaram o coração dos brasileiros ao aplicar uma virada espetacular sobre os franceses Simon Gauzy e Emmanuel Lebesson - 4 a 3, parciais de 11/4, 7/11, 8/11, 12/10, 6/11, 11/9 e 11/7.

Na ocasião, Monteiro destacou a confiança da dupla, mesmo em momentos adversos – incluindo um 2/6 na sétima parcial.

“No último set, estávamos perdendo por 6/2, mas acreditamos que poderíamos virar. Em geral, o espírito da dupla estava muito positivo, um levantando o outro”, declarou o cearense.

Em 2016, a seleção chega embalada pelo ótimo Pan-Americano do ano anterior, onde foi arrasadora. No masculino, todos os brasileiros terminaram no pódio individual, além do título por equipes. As mulheres quebraram barreiras, com uma prata inédita no individual e nas equipes.

O Mundial por Equipes de Kuala Lumpur, na Malásia, acontece entre os 28 de fevereiro e 6 de março. As equipes brasileiras serão formadas por Hugo Calderano (74º colocado no ranking mundial), Gustavo Tsuboi (48º), Thiago Monteiro (124º) e Cazuo Matsumoto (132º); Lin Gui (130ª), Caroline Kumahara (139ª), Bruna Takahashi (158ª) e Ligia Silva

Foto: Divulgação

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar