Mundial de Atletismo 2015 - Último Dia - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Mundial de Atletismo 2015 - Último Dia

Compartilhe
Ninho do Pássaro se despede do Mundial 2015 | Foto: Christian Petersen/Getty
No dia que fechou o Mundial em Pequim nem todos os favoritos corresponderam. Os Estados Unidos, por exemplo, só foram buscar o único ouro em revezamentos na prova que encerrou a competição.

Maratona Feminina
A prova só foi definida nos metros finais de disputa. A etíope Mare Dibaba se manteve no pelotão durante toda a corrida, para nos quilômetros finais atacar e conseguir resistir às adversárias quenianas. Assim, Dibaba faturou o ouro com o tempo de 2:27:35, um segundo na frente da queniana Helah Kiprop. Três segundos depois chegou Eunice Kirwa, do Bahrein, para ficar com o bronze.

Salto em Altura Masculino
Se o nível técnico não correspondeu ao esperado, não faltou emoção na disputa. O ucraniano Bohdan Bondarenko, o chinês Guowei Zhang e o canadense Derek Drouin chegaram aos 2.36 sem errar nenhum salto, mas então desperdiçaram todas as três tentativas. Assim a disputa foi para o desempate, em que eles novamente falharam nos 2.36, para finalmente Drouin passar sozinho pela marca de 2.34 e ficar com a medalha de ouro. O catari Mutaz Essa Barshim fechou na quarta posição, após também atingir 2.33, mas ter errado um salto na marca de 2.29.

Arremesso de Dardo Feminino
A chinesa Huihui Lyu liderava com a marca de 66.13, recorde asiático, até a última série de arremessos, quando a alemã Katharina Molitor foi para o tudo ou nada e se deu bem. Com um 67.69, Molitor faturou o ouro e jogou Lyu para a prata. A sul-africana Sunette Viljoen fechou o pódio.

5.000m Feminino
Triplete da Etiópia no pódio. A etíope Almaz Ayana disparou na segunda metade de prova e se isolou na liderança, vencendo com o tempo de 14:26.83, o novo recorde da competição. Quase 20 segundos depois chegou a medalhista de prata, Senbere Teferi, com 14:14.07, seguida por Genzebe Dibaba.

1.500m Masculino
Os quenianos Asbel Kiprop e Elijah Manangoi realizaram uma dobradinha nas duas primeiras posições. Kiprop venceu com o tempo de 3:34.40, enquanto Manangoi terminou com 3:34.63. Atrás deles uma disputa intensa entre três corredores, que teve vantagem do marroquino Abdalaati Iguider, que terminou com o bronze.

4x400m Feminino
Se em 2013 as favoritas norte-americanas foram desbancadas pelas russas, não foi desta vez que os Estados Unidos recuperaram a hegemonia da prova. Em Pequim as jamaicanas Christine Day, Shericka Jackson, Stephenie Ann McPherson e Novlene Williams-Mills se deram bem e fecharam com o tempo de 3:19.13, a melhor marca do ano, contra 3:19.44 das norte-americanas. A Grã Bretanha fechou o pódio.

4x400m Masculino
A prova que encerrou a competição salvou os revezamentos norte-americanos de passarem o Mundial sem subir no lugar mais alto do pódio. David Verburg, Tony McQuay e Bryshon Nellum controlaram a prova, deixando para o astro LaShawn Merritt encerrar com chave de ouro no tempo de 2:57.82. Trinidad e Tobago fez uma prova segura e ficou com a prata, com 2:58.20, enquanto a Grã Bretanha surpreendeu ao bater os jamaicanos na disputa do bronze, após Javon Francis começar muito forte a última perna para os caribenhos, o que não lhe deu energia para os metros finais.

Balanço Final
Com o término das provas, o Quênia foi quem se deu melhor no quadro de medalhas, somando 7 ouros, 6 prata e 3 bronzes. A Jamaica também obteve 7 ouros, mas 2 prata e 3 bronzes. Os Estados Unidos ficaram com 6 ouros, 6 pratas e 6 bronzes. Se o número de ouros foi igual ao do último Mundial, as 18 medalhas significam o menor número do país desde 2003. Destaque para a Grã Bretanha, que conquistou 4 ouros, uma prata e 2 bronzes.

O Brasil conquistou a única medalha com a única grande chance: Fabiana Murer foi prata no salto com vara após igualar a melhor marca pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário