Decatleta Ashton Eaton projeta caminho para Rio 2016 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Decatleta Ashton Eaton projeta caminho para Rio 2016

Compartilhe
Mais do que vencer novamente a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, Ashton Eaton, o campeão e recordista mundial do decatlo quer evoluir mais ainda e quer chegar bem em 2016 no Rio de Janeiro.

Em entrevista a um portal norte americano, Eaton afirmou que ficou um gosto amargo por ter não ter batido o recorde mundial do heptatlo em Sopot e que já em 2014 vai mudar algumas coisas no treinamento.

“Após este começo de ano na temporada indoor, lembrei de Daegu. Eu era muito duro comigo mesmo, fui prata em Pequim 2008 e não sai de lá feliz, considerei um fracasso. Isso só mostra que o corpo chega onde quiser, mas quem faz você se manter no topo é a sua mente.....expectativas e cobranças nos quebram e nos colocam pra baixo. E em Sopot eu estava cansado mentalmente, isso fez com que não conseguisse chegar ao recorde....o bom disso é que sei que meu corpo poderia fazê-lo (bater o recorde mundial), basta acertar a cabeça.”

“Vou me afastar dos lançamentos por um tempo, vou me dedicar aos 400m com barreiras. Optei por esta prova pois sei que me manterá bem fisicamente e porque é a prova que tenho chance de ser competitivo....estar “longe” de outras provas aumentará meu desejo de voltar e bem”

Eaton tem grandes marcas nos 400m mas também em outras provas como no salto em distância, que em Londres 2012 poderia ter ido a final olímpica com o salto feito na prova no decatlo.

“Para não perder técnica e tudo que precisamos no decatlo, não vou parar de treinar as 10 provas, só farei menos volume e intensidade, o que ajudará e muito ao meu corpo ter mais longevidade.....pensando no Rio 2016, terei que administrar a ansiedade. Daqui até lá tenho que colocar em prática a teoria de que não preciso fazer PB (melhor marca pessoal) em todas as provas, tenho que ser consistente, estar perto das melhores marcas, o que nem sempre acontece....minhas melhores marcas vieram quando estava mais relaxado e curtindo a competição, a pressão não é boa pra ninguém .” salientou o decatleta.


Fonte: Brasil Atletismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário