USA Swimming cria revisão para programa contra abuso infantil no esporte


A USA Swimming, órgão máximo da natação norte-americana, adotará uma organização externa para avaliar seu programa de esporte seguro, que foi lançado há três anos, após inúmeros relatos de treinadores que têm relações inapropriadas com os atletas menores de idade.

O relatório está previsto para ser concluído em janeiro de 2014 e será lançado publicamente.

"Isso é algo que estamos fazendo de forma inteiramente voluntária", disse Chuck Wielgus, diretor executivo do USA Swimming. "Nós estamos trabalhando duro para isso nos últimos três anos. Nós apenas pensamos que era hora de fazer uma avaliação e acho que ela realmente nos dá a oportunidade de aprender sobre o que estamos fazendo bem, mas, mais importante, o que pode fazer para continuar a evoluir e melhorar o programa".

Um crítico da USA Swimming, o advogado californiano Robert Allard, diz que o programa serve mais como uma maquiagem: "A USA Swimming está lutando para esconder décadas de políticas fracassadas da proteção da criança", disse Allard. "Eles contrataram uma empresa de relações públicas e a chamaram de proteção à criança, tudo em um esforço para mostrar aos investigadores do Congresso que estão genuinamente preocupado com a proteção da criança. A realidade é que, como a Igreja Católica, a USA Swimming está usando estratégias semelhantes para encobrir seus escândalos de abuso sexual por punir delatores, habilitadores gratificantes, e culpando as vítimas.”

A organização agora mantém uma lista pública em seu site de 88 pessoas que receberam proibições da vida, principalmente por má conduta sexual - quase o dobro dos 46 nomes que foram originalmente reveladas no auge do escândalo.

Fonte: AP

0 Comentários