Mundial de Biatlo 2013: veja o que aconteceu por lá - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Mundial de Biatlo 2013: veja o que aconteceu por lá

Compartilhe


De 7 a 17 de fevereiro, as principais estrelas do Biatlo disputaram o Mundial 2013, realizado em Nove Mesto, cidade da República Tcheca. E como já era de se esperar, a Noruega fez a festa no quadro de medalhas. Com 8 ouros, 2 pratas e 1 bronze, 11 no total, os noruegueses praticamente fizeram a limpa nas vitórias. A França foi o país menos distante, com 1 ouro e 4 pratas, 5 no total. E a Ucrânia, em 3° lugar, com 1 ouro, 1 prata e 3 bronzes, também 5 no total. O Brasil teve apenas Jaqueline Mourão competindo, e ela não foi muito bem na disputa, e o Brasil terminou sem medalha.

Como não fizemos uma cobertura mais detalhada, hoje é dia de resumir os acontecimentos do mundial de uma das mais importantes modalidades de inverno.

PROVA MISTA - REVEZAMENTO


Foi a prova que deu mostras do que seria o restante do Mundial de Biatlo. O time norueguês, formado por Tora Berger, Synnoeve Solemdal, Tarjei Boe e Emil Hegle Svendsen levou o primeiro ouro de seu país no mundial. Prata da França, e bronze para a República Tcheca.

Svendsen e o francês Martin Fourcade batalharam pelo ouro na última saída, e o norueguês foi bem sucedido em manter a liderança. Decepção foi a Rússia, que vinha medalhando até a última parte, quando Dmitry Malishko cansou e acabou perdendo várias posições, descendo a Rússia para o 6° lugar.

SPRINT 10KM MASCULINO


Esta foi a segunda parte do duelo entre Fourcade e Hegle Svendsen. E o norueguês levou novamente a melhor, finalizando a prova rápida em 23m25s1, 7s à frente de Martin Fourcade. O esloveno Jakov Fak foi o terceiro colocado. Detalhe: ele não errou nenhum tiro (quando se erra um tiro, é adicionado um minuto ao tempo final), mas acabou não indo muito bem no Esqui.

SPRINT 7.5KM FEMININO


Pódio quase dominado por ucranianas. Olena Pidhrushna foi medalhista de ouro na prova, enquanto Vita Semerenko ficou com o bronze. A "intrusa" na festa foi a norueguesa Tora Berger, com a prata. Pridhrushna fez uma prova perfeita, não errou nenhum tiro e fechou a prova com 21m02s1, enquanto Berger acabou perdendo o ouro justamente por errar um de seus tiros.

Jaqueline Mourão foi a representante brasileira na prova, e ela terminou a disputa em 108° lugar, tempo de 27m18s3, e errando 4 tiros.

PERSEGUIÇÃO 12.5KM MASCULINO


A prova de perseguição tem como base os tempos feitos no Sprint. O primeiro a sair é o vencedor da prova do Sprint, e os outros saem X segundos/minutos após o primeiro, baseando-se no tempo do Sprint. Aqui, a prova foi ainda mais parelha do que a outra.
 
No terceiro capítulo de Fourcade x Hegle Svendsen, mais uma vitória do norueguês, e numa chegada fantástica. Svendsen chegou à frente do francês por apenas um décimo de segundo! Quatro segundos atrás, chegou o russo Anton Shipulin para faturar o bronze.

PERSEGUIÇÃO 10KM FEMININO


Ao contrário da prova do Sprint, as ucranianas tiveram maiores problemas na prova de perseguição. E quem se deu bem foi Tora Berger - que havia ficado com a prata naquela prova. Mesmo cometendo dois erros, a norueguesa trouxe o quarto ouro de seu país com um tempo de 28m48s4, 18s melhor do que a medalhista de prata, a polonesa Krystyna Palka. E em terceiro lugar, a medalhista de ouro no Sprint, a ucraniana Olena Pidhrushna.

Jaqueline Mourão não disputou, já que apenas as 60 primeiras no Sprint se qualificavam para a perseguição.

15KM INDIVIDUAL FEMININO


Mais um ouro para Tora Berger! Na prova mais longa do biatlo, a norueguesa fez 44m52s5 e superou as adversárias Andrea Henkel, alemã que ficou com a prata, e a ucraniana Valj Semerenko, que levou seu 2° bronze no Mundial. As duas primeiras não erraram nenhum tiro, mas a força de Berger no Esqui prevaleceu.

Jaqueline Mourão disputou a prova, e terminou na 102ª posição, com tempo de 1h00m20s7, e 8 erros no tiro, o que acabou rebaixando por demais sua posição final.

20KM INDIVIDUAL MASCULINO


A única prova sem norueguês no pódio presenciou o único ouro francês no Mundial, que veio justamente com seu principal atleta: Martin Fourcade. Dessa vez, ele não teve a companhia "indesejada" de Emil Hegle Svendsen, e assim pôde conquistar a vitória, com tempo de 49m43s0. 23s atrás, o norte-americano medalhista de prata Tim Burke, e 33s atrás, o sueco medalhista de bronze Frederik Lindstrom. Todos os três erraram um tiro no final do percurso, o que acabou mantendo o pódio dessa forma.

REVEZAMENTO 4x6KM FEMININO


A Noruega manteve a supremacia no revezamento feminino. Capitaneados por Tora Berger, a equipe - que tinha também Hilde Fenne, Ann Kristin Flatland e Synnoeve Solemdal - quase foi superada pelo time da Ucrânia, capitaneado por Olena Pidhrushna. Berger manteve a liderança até o fim, chegando com tempo de 1h08m11s, 7s à frente de Pidhrusna. O bronze ficou com a equipe da Itália, capitaneadas por Karin Oberhofer.

REVEZAMENTO 4x7.5KM MASCULINO


O rolo compressor norueguês continuou no revezamento masculino. Emil Hegle Svendsen, Tarjei Boe, Henrik Lund e Ole Einar Björndalen foram os representantes da equipe. E haja história no time: enquanto Svendsen conquistava seu 4° ouro, Björndalen iria para seu 19° título mundial. Um mito.

Bem atrás, com a prata, ficou a França, de Martin Fourcade, que amargou sua 4ª prata no Mundial. E o bronze ficou com a Alemanha, capitaneada por Erik Lesser.

SAÍDA MASSIVA 12.5KM FEMININO


Darya Domracheva, da Bielorrússia derrotou a favorita Tora Berger na prova em que as atletas saem todas ao mesmo tempo (daí o nome de "saída massiva"). Domracheva terminou a prova em 35m54s5, 9s à frente da norueguesa - que fechou a competição com 4 ouros e 2 pratas. A polonesa Monika Hojnisz ficou com o bronze, 28s atrás da bielorrussa.

SAÍDA MASSIVA 15KM MASCULINO


Encerrando o mundial, tivemos Tarjei Boe finalmente conquistando o ouro em uma prova individual. Boe fez 36m15s, 4s5 à frente do russo Anton Shipulin. E Emil Hegle Svendsen terminou pela primeira vez uma prova neste Mundial de 2013 sem um ouro - fechou com o bronze, 8s2 atrás de seu compatriota.

Eis o quadro de medalhas final (fornecido por Totallympics)


PosPaís
O
P
B
Total
1
Noruega
8
2
1
11
2
França
1
4
0
5
3
Ucrânia
1
1
3
5
4
Bielorrússia
1
0
0
1
5
Alemanha
0
1
1
2
5
Polônia
0
1
1
2
5
Rússia
0
1
1
2
8
Estados Unidos
0
1
0
1
9
República Tcheca
0
0
1
1
9
Itália
0
0
1
1
9
Eslovênia
0
0
1
1
9
Suécia
0
0
1
1

Nenhum comentário:

Postar um comentário