Confira aqui a lista completa:


Algumas considerações:

- As federações nacionais tiveram poder para passar por cima da absurda regra que exigia participação mínima na Copa Davis ou na Fed Cup. Enquanto algumas delas inscreveram os atletas sem a participação, outras não apoiaram seus atletas e decidiram por deixá-los de fora dos jogos. 

- Vera Zvonareva (Rússia), Carlos Berlocq (Argentina) e David Goffin (Bélgica) foram inscritos por suas federações nacionais, mesmo sem preencher este requisito. Porém as federações da África do Sul, Áustria, Cazaquistão, França, Suíça e Ucrânia optaram por deixar seus atletas que não representaram o país na Davis/Fed Cup de fora. As maiores baixas foram a francesa Marion Bartoli, 8ª colocada no ranking da WTA e o ucraniano Alexandr Dolgopolov, 20ª na ATP. De forma até irônica, receberam convites da ITF a francesa Alize Cornet, 71ª colocada no ranking de 11 de junho, e o ucraniano Sergiy Stakhovsky, número 86 do mundo.

- Os convites da ITF para a chave masculina foram triviais, priorizando atletas pelos seus rankings. Exceção fica por conta do canadense Vasek Pospisil (provavelmente convidado já que será parceiro de Daniel Nestor, líder do ranking de duplas), do australiano Lleyton Hewitt, ex número 1 do mundo, e do indiano Somdev Devvarman. Para a chave feminina já deram mais convites a países com menos tradição no esporte, tendo Stephanie Vogt de Liechtenstein e Veronica Cepede do Paraguai. Destaque também para o convite da tunisiana Ons Jabeur, que disputava as chaves juvenis até o ano passado.

- Nas duplas masculinas a escolha pareceu bastante coerente, com destaque para a dupla da casa formada pelos irmãos Andy e Jamie Murray. Porém no feminino a divulgação mostrou duas situações notáveis. Número 5 e 9 no ranking, a tcheca Květa Peschke e a americana Vania King ficaram de fora dos jogos, sendo preteridas por duas duplas de jogadoras do mesmo país. No caso de Vania King, realmente pouco se pôde fazer por causa do limite de atletas por país. Além disso, priorizou-se a dupla Huber/Raymond que lidera o ranking, e as irmãs Williams, bicampeãs olímpicas nesta modalidade.

- Se o convite para Bellucci na chave de simples e a presença da dupla Melo/Soares já era esperada, o convite para Bellucci e Sá nas duplas se mostrou surpreendente.