Trajetória brilhante, final trágico.



Por Felipe Ferreira (@felipepf13)

A surpreendente campanha que culminou no título da Copa Africana de Nações fez com que a seleção de Zâmbia voltasse a tomar as manchetes dos mais diversos meios de informação do futebol mundial. Entre as mais diversas notícias, um fato em comum sempre era lembrado: a tragédia de 1993 que acabou na morte de grande parte dos jogadores de um selecionado que entrou para a história.

Nas Olimpíadas de Seul, realizada em 1988, a equipe de Zâmbia deixou o planeta do futebol boquiaberto ao surpreender a toda-poderosa seleção italiana por 4 a 0. Contudo, a campanha do time não passou só por isso e poucos se lembram dos outros jogos. A ânsia de conhecimento e curiosidade que este jovem que vos escreve possui o fez correr atrás e desdenhar a campanha de tal seleção nos Jogos.

Em um grupo onde tinha boas chances de se classificar para as Olimpíadas, já que enfrentaria as seleções de Iraque, Guatemala e Itália, a equipe africana não começou tão bem, um empate em 2 a 2 diante dos iraquianos fez com que os zambianos não exprimissem tanta confiança. Até que na segunda rodada da fase de grupos, o jogo seria contra o selecionado italiano e todos já contavam com uma tranquila vitória da Azzurra, contudo não foi isso o que vimos.

Sob o comando de Kalusha Bwalya, o selecionado zambiano deu um show. Bwalya foi responsável por protagonizar uma atuação de gala, sendo responsável por marcar três gols e levar sua equipe a uma avassaladora goleada por 4 a 0 sobre os italianos, que em seu elenco tinha jogadores como Stefano Tacconi, Andrea Carnevale e Roberto Baggio.

Fechando a fase de grupos, os Balas de Cobre (apelido da seleção zambiana) voltaram a protagonizar outra goleada por 4 a 0, dessa vez diante da Guatemala, e assim, o time, surpreendentemente, fechou a fase de grupos com a primeira colocação do Grupo B.

O encanto das grandes atuações na fase de grupos não durou muito. Nas quartas,  a seleção de Zâmbia se encontrou com mais uma potência do futebol, a seleção alemã de Jürgen Klinsmann. E os germânicos não se preocuparam com o status de surpresa do rival, enfiaram uma goleada de 4 a 0, com direito a três gols de Klinsmann e assim o sonho dos zambianos chegava ao fim, apesar que a surpreendente campanha nos Jogos já serviu para deixar a população da nação em festa. 

Os Jogos Olimpícos de Seul viram o domínio soviético se manter com a URSS conquistando a medalha de ouro ao bater o Brasil na final. O bronze ficou com a Alemanha. Todavia, disto, poucos se lembram, já da goleada de Zâmbia sobre a Itália, todos tem conhecimento.

A geração futebolística zambiana que entrou para a história nas Olimpíadas veio a ter um trágico fim. Tendo grande destaque no futebol africano e com grandes chances de ir bem na Copa de 1994, um acidente aéreo ocorrido no dia 28 de abril de 1993, veio a matar 18 dos 20 jogadores que estavam no avião, muitos destes estavam no plantel dos Jogos de 88. A causa do acidente nunca foram bem explicadas e as investigações não conseguiram chegar a uma conclusão. Kalusha Bwalya, grande estrela do time, não estava no vôo e acabou por escapar ileso.

De fato, esta geração de Zâmbia está na história do futebol africano. Uma trajetória brilhante, porém, um final melancólico e bastante trágico.

Vídeo do jogo Zâmbia 4 x 0 Itália:

0 Comentários