Ginástica de Trampolim do Brasil estreia no Mundial da modalidade, no Japão


Em busca de melhorar os resultados obtidos na edição do torneio em 2018, a Ginástica de Trampolim do Brasil estreia no Campeonato Mundial de Ginástica de Trampolim de Tóquio (JAP) na madrugada desta quinta-feira (28), a partir das 4h (horário de Brasília). No recém-concluído Ariake Gymnastics Centre, que receberá todas as competições da Ginástica na Olimpíada do ano que vem, o Mundial dará largada com as disputas na competição Individual.

Foi justamente nesta prova que o Brasil alcançou seu melhor resultado na história da modalidade em Mundiais, com Camilla Lopes Gomes terminando em 14º lugar na semifinal em São Petersburgo (RUS), em 2018.

Nesta quinta-feira, os primeiros que irão competir serão os integrantes da equipe masculina, que apresentarão suas duas séries a partir das 16h locais (4h da madrugada no Brasil). Os brasileiros integram o Grupo 6 e pela ordem irão se apresentar Lucas Junior Tobias (1º), Rafael Andrade (4º), Rayan Dutra (7º) e Carlos Ramirez Pala (10º). Neste grupo, o Brasil compete ao lado de ginastas de Belarus e Itália.

A equipe feminina fará sua estreia a partir das 8h, integrando o Grupo 8, o último do Individual. Pela ordem, irão se apresentar Daienne Lima (3ª), Ingrid Souto Maior (7ª), Camilla Lopes Gomes (9º) e Alice Hellen Gomes (11ª). (Integram este grupo as ginastas da Grécia, Bulgária e Austrália).

Após as duas apresentações, os 24 melhores classificados no feminino e masculino passarão para a semifinal, que será realizada no sábado (30). Os oito melhores nesta fase seguirão para a disputa da final do Individual, que será realizada no domingo (01/12).

Para Tatiana Figueiredo, uma das treinadoras da Seleção Brasileira que está em Tóquio, os ginastas chegam bem preparados para este Mundial. “O objetivo principal da equipe é realizar as séries obrigatória e livre com solidez e boa execução. Desta forma, eles poderão melhorar a pontuação que foi traçada individualmente”, afirmou Tatiana, que está otimista a respeito de Camila e Alice no feminino.

“Elas são as atletas que têm obtido os melhores resultados recentemente no Trampolim Individual. Tiveram um excelente resultado no Mundial do ano passado. Elas também têm chance de serem finalistas no Trampolim Sincronizado, se competirem bem”, explicou a treinadora.

Vagas olímpicas em jogo
O Mundial de Tóquio também terá como atração a mais, além de ser realizado no mesmo palco da Olimpíada de 2020, o fato de classificar os primeiros representantes da Ginástica de Trampolim para os Jogos. Único evento que faz parte do programa olímpico, o Trampolim Individual garantirá um lugar nos Jogos Olímpicos aos oito primeiros de cada gênero, com a limitação de uma vaga por país.

Ao todo, a Ginástica de Trampolim na Olimpíada de Tóquio terá um total de 16 ginastas por gênero. As demais vagas serão concedidas via copas continentais (5) e pelo ranking da Copa do Mundo, que será fechado no ano que vem (3).

Foto: Ricardo Bufolin/CBG

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes