Conta bloqueada da CBTE impede medalhista de bronze no Pan de tentar vaga olímpica em Copa do Mundo de Tiro na Finlândia


Um dos melhores atiradores do Brasil, Roberto Schmits desistiu de competir na Copa do Mundo de Lahti (FIN), último evento classificatório para os Jogos Olímpicos, depois que a Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE) não pode cobrir os recursos com a viagem para a competição, que começou dia 13 e termina no dia 23. A entidade afirmou que suas contas estavam bloqueadas por motivos burocráticos e deve normalizar a situação em breve.

Em conversa com o Surto Olímpico, o atleta que foi o 15º melhor colocado nas Olimpíadas do Rio-2016 na Fossa Olímpica, disse que durante os Jogos Pan-Americanos já havia sido informado a ele que por problemas administrativos a Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE) não poderia custear a passagem dos quatro atletas inscritos.

Porém, na última sexta-feira anterior à Copa do Mundo foi-lhe oferecido o pagamento da inscrição e passagem, o que ainda assim o impossibilitaria de ir.

"Ainda assim, teriam custos com hospedagem, transporte interno, cartuchos, sessão de treinos, é muita coisa. Se eu tivesse condições financeiras iria, mas não posso", explicou Schmitão, como é conhecido. Ele ressaltou que apesar de ter contado com o apoio de algumas pessoas da Confederação para tentar resolver o problema, "é muito amadorismo". "Claro que estou chateado, era a última chance para Tóquio. Espero que eles conquistem a vaga", fazendo referência a Dante Lanna e Emanuel Munaretto, que decidiram ir com recursos próprios e disputaram a Copa do Mundo e estão longe da disputa por vagas na final, atualmente em 85º e 138º lugar ao fim do segundo de três dias de fase classificatória. Já Roberth Luciana Vieira participa da prova do Skeet, que acontece entre os dias 20 e 22.

Enquanto Roberto é o melhor brasileiro classificado no ranking mundial (70º), os representantes brasileiros na Finlândia não estão incluídos na lista, ainda que estejam bem colocados no ranking nacional: Munaretto é o 2º colocado, enquanto Lanna é o 3º.

Carlos Costa, Diretor Técnico da CBTE disse que "a confederação teve suas contas bloqueadas devido a uma renovação de documentos que estava fora do prazo" e a normalização deve ser rápida, mas que "infelizmente ocorreu às vésperas da viagem para a Finlândia", ressaltando que os atletas presentes tiveram "apenas uma pequena ajuda de custo nas diárias para alimentação através de recursos próprios da Confederação" e confirmou a informação que foi oferecida a Schmits o custeio da passagem aérea e inscrição.

Roberto Schmits conquistou a medalha de bronze na Fossa Olímpica nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Apesar da comemoração da medalha, uma das duas únicas conquistadas pela equipe do Tiro, escapou uma das duas vagas olímpicas em disputa, conquistadas pelos norte-americanos Brian Burrows e Derek Haldeman.



Ao Surto Olímpico ele também reiterou a importância do trabalho feito com Alessandra de Souza, psicóloga do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), algo que ele nunca tinha experienciado antes dos Jogos de Lima e espera que trabalhos similares prossigam nas competições de Tiro. Ele ainda afirmou esperar até o fim do ano para saber se prossegue por mais quatro anos no esporte ou se dedica ao papel de instrutor de clínicas de Tiro.

O último evento a oferecer vagas olímpicas na espingarda é a Copa do Mundo de Lahti, enquanto os atletas do rifle e pistola disputam a Etapa do Rio de Janeiro da Copa do Mundo, entre os dias 26 de agosto e 3 de setembro.

Vagas adicionais serão distribuídas pelo ranking, mas a maior chance dos brasileiros deverá ser pleitear uma das 24 vagas reservadas para o mesmo número de nações que não conseguiram classificar atletas através das 336 posições disputadas durante as etapas qualificatórias. Procurada pelo Surto para saber se o histórico do país na Modalidade poderia favorecer o Brasil na distribuição de uma das Vagas, a Federação Internacional de Tiro Esportivo (ISSF) não deu detalhes, mas reiterou que "o primeiro passo deverá ser feito pelos Comitês Olímpicos Nacionais".

O Brasil já conquistou quatro medalhas olímpicas no Tiro, três delas em 1920 - o ouro de Guilherme Paranese na Pistola Militar de 30m, prata de Afrânio da Costa na Pistola Livre de 50m e bronze na Pistola Livre 50m por equipes – e uma delas em 2016, aprata de Felipe Wu na Pistola de Ar de 10 metros.

Fotos: Washington Alves / COB e Lima 2019

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes