Pan-Americano de Esgrima 2019 - Dia 3: Final de irmãos venezuelanos na espada impede domínio 100% dos EUA


O Pan-Americano de Esgrima encerrou-se neste sábado, dia 29. Se os EUA levaram o quinto ouro da competição, em uma final no sabre feminino, o destaque ficou para a final da espada masculina: não só pela primeira vez um atleta norte-americano não levou o título ou sequer chegou ao pódio, como a final foi decidida entre os irmãos Limardo, da Venezuela.

Pela primeira vez na história da espada pan-americana, uma final foi contestada entre irmãos. Campeão nas Olimpíadas de Londres e atual vice-campeão mundial, Ruben Limardo Gascón, de 33 anos, ganhou do irmão mais novo Jesus Limardo, 23, por eletrizantes 15-14. Ruben entrou na competição como o 4º melhor do mundo e ganhou uma colocação; já Jesus em seu primeiro resultado de destaque internacional pulou de 90º para 38º melhor do mundo. O irmão do meio, Francisco, 32 anos, campeão pan-americano de 2014, ficou em quinto lugar na competição. 

Os bronzes foram para Jose Felix Dominguez (ARG) e Yunior Reytor Venet (CUB). Os norte-americanos que chegaram como favoritos a garantir um domínio 100% nas competições individuais foram barrados pelos irmãos Limardo: Curtis McDowald perdeu nas quartas para Ruben, Jacob Hoyle caiu ainda nas oitavas para Jesus, enquanto Adam Rodney também perdeu para Francisco também na fase de oitavas.

Os brasileiros tiveram uma boa participação mas não chegaram na fase de medalhas. Alexandre Camargo perdeu uma batalha difícil para McDowald nas oitavas (por 15-13), enquanto Fabrizio Lazaroto perdeu no Quadro de 32 para Pablo Nunez (CHI) por mínimo 15-14. Richard Grunhauser e Athos também foram vítimas dos irmãos Limardo no Quadro de 32. Ruben ganhou de Richard por 15-12 (foi a vitória mais apertada de Ruben antes da final) e Athos foi derrotado por Jesus por 15-11.

Rubén comemorou o resultado no Twitter: "Quarto título pan-americano que consigo em minha carreira, porém esse tem um sabor especial. Ganhei em frente a meu irmão mais novo, que deu hoje um passo muito importante para nossa esgrima. Isso é história, a qual ainda estamos escrevendo e que está para ser escrita".

Única top10 na chave de sabre feminino, Anne-Elizabeth Stone fez valer seu favoritismo levando o ouro por 15-14 sobre a compatriota Mariel Zagunis, bicampeã olímpica em 2000-2004. Marca de um Pan-Americano muito disputado, quatro das seis finais foram decididas por um ponto. Gabriella Page (CAN) e Maria Belen Perez Maurice (ARG) levaram as medalhas de bronze.

As representantes brasileiras foram bem na fase classificatória, mas não conseguiram passar do quadro de 32. Karina Trois perdeu de Yolanda Munoz (CHI) por 15-14, enquanto Luana Pekelman perdeu para Eileen Grench (PAN) por 15-10 e Giulia Gasparin foi superada por Jessica Colima Morales Linares (COL), por 15-8. Luiza Lee não passou da primeira fase, terminando em 33º lugar.

A partir deste domingo começa a competição por equipes, que é importante porque dá pontos no ranking de equipes, que distribui a maior parte das vagas olímpicas. Se fosse usada a classificação atual, o Brasil estaria classificado no florete masculino, mas pouco a frente do Canadá: um duelo provável na semifinal dará pontos importantes nessa disputa. 

No sabre masculino, o Brasil entra como cabeça 9 e enfrenta Porto Rico nas oitavas-de-final; o vencedor desafia os EUA, grande favorita da competição nas quartas. O Brasil é cabeça 3 no florete feminino e desafia a Colômbia nas quartas, tendo como o Canadá como possível adversário de semi-final.

Foto: Divulgação / Comitê Olímpico Venezuelano

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes