Atleta argentino campeão Pan-Americano abandona o esporte por falta de recursos


E não é só no Brasil que a falta de recursos atrapalha aos atletas. Há quatro anos, o argentino Miguel Amargós conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá. Como o caratê será olímpico em Tóquio/2020, após a conquista os objetivos do argentino eram: defender o título em Lima/2019 e disputar as olimpíadas no Japão.

Contudo, as dificuldades da vida de um atleta amador argentino o levaram a mudar os planos. Em crise, o governo da Argentina, através da Entidade Nacional de Alto Esporte, decidiu cortar bolsas de estudos que, no caso de Miguel, eram seu apoio econômico. Assim, o lutador de caratê decidiu se profissionalizar e, por ora, abandonar o sonho olímpico.  

"Foi muito difícil para tomar essa decisão, mas não podia ser egoísta. No dia meu filho Aquiles me chamou porque ele precisava de chuteiras para ir jogar futebol e eu não tinha dinheiro para comprá-las. Acabei aceitando a proposta que me foi feita do "Karate Combat" (franquia de combate profissional do Karatê), porque me daria a chance de resolver minha carreira esportiva e dar um futuro melhor para meu filho", afirmou Miguel ao periódico Clarín. 

Segundo conta o atleta, um carateca americano entrou em contato com ele e fez o convite para trabalha na franquia: "Ele me ligou em 2017, quando a primeira temporada ainda não tinha iniciado, ele me disse que eles me viam como potencial e ele me explicou como eram os regulamentos. Naquela época eu estava em sexto ou sétimo no ranking e totalmente dedicado ao esporte. Devido à situação econômica que o país está passando e por causa dos cortes de bolsas, no final decidi assinar o contrato que me ofereceram, que é de 16 lutas".

Quanto perguntado se a decisão se pautou apenas na questão financeira, o atleta foi enfático: "Essa foi a principal razão. Mas a proposta também me afasta muito do esporte. A única coisa que sei fazer é lutar e isso me dá a oportunidade de continuar fazendo o que amo. Além disso, esta é uma franquia de karatê de contato completo e é por isso que tenho o perfil de atleta que eles estão procurando. Sou um competidor muito agressivo e muito forte fisicamente, no passado fui desclassificado em lutas amadoras por causa do contato excessivo. Agora eu não vou ter que me preocupar em bater duro".

Amargós é um dos melhores representantes do karatê argentino. Entre seus resultados mais notáveis ​​são um bronze no Pan-Americano Buenos Aires 2013 e ouro no Jogos Sul-Americanos Santiago 2014. E depois de sua consagração em Toronto, começou a receber subsídios dos órgãos esportivos argentinos. Contudo, em abril de 2018, pouco mais de um ano antes do Pan de Lima, ele parou de receber as bolsas.


É a exigência de garantir a renovação da bolsa era que deveria receber uma medalha na especialidade Pan-Americana que se realizou no Brasil, em maio de 2017. E, embora tenha tido um bom desempenho, foi argentino do torneio e perdeu a luta na semifinal no último segundo, perdendo o bronze e o choque de bronze também por diferença mínima, o quarto lugar não o garantiu com as bolsas.

"Os resultados não saem como o esperado. Nós tínhamos planejado o ouro e não veio. Essa foi a razão por que não renovaram a minha bolsa. Infelizmente, parece que ganhar uma medalha era a única maneira de continuar o apoio. Porque nenhum levou em conta nem a minha posição no ranking mundial. Eu estava no top 7 da minha categoria, além de várias medalhas que ganhei na liga mundial". 

O argentino, após Toronto, conseguiu três pódios no circuito internacional da Federação Mundial de Karate (WKF em inglês). Foi prata na reunião em Fortaleza, no Brasil, em 2016; bronze no de Roterdã, na Holanda, naquele mesmo ano; e conseguiu outro terceiro lugar em Salzburgo, na Áustria, em 2018. Porém, como o próprio atleta afirmou, não parecem ter sido suficientes para manter a bolsa.

"Sem o apoio que ele estava recebendo, tornou-se muito difícil para continuar a preparação, como de costume". O argentino teve de voltar a sua cidade natal e está morando com os pais, o filho de 10 anos e suas irmãs, enquanto se prepara para a estreia na franquia.

Totalmente focado nesta nova etapa, Amargós diz que não se arrepende da decisão tomada. Embora ele esclarece que não desistiu do sonho de ser um atleta olímpico algum dia.


"Agora estou no caminho do profissionalismo procurando um capital para sustentar minha carreira, para sustentar minha família e talvez também ajudar outros atletas que estão com dificuldades para chegar lá, mas as portas dos esportes amadores estão sempre abertas. A Federação Argentina de Karatê - do presidente aos treinadores e atletas - entendeu que essa era a decisão certa para mim no momento, e tenho um bom relacionamento com eles ", explicou o carateca, que fará 28 anos em agosto. 

E ficou encantado: "Sei que tenho potencial para voltar ao amadorismo, para voltar ao top 10 do ranking mundial e me qualificar para os Jogos Olímpicos, esse objetivo permanecerá pendente para Paris 2024."

Ocorre, no entanto, que a decisão do COI para o programa olímpico de Paris/2024 já foi tomada e o Caratê não está incluído, o que, praticamente, mina o sonho de uma participação olímpica. Ele teria 37 anos em Los Angeles/2028.

O que é o Karate Combat ?

O Karate Combat é uma franquia profissional com sede em Nova York, que tem uma estrutura e organização similar ao famoso UFC, a maior empresa de artes marciais mistas do mundo. Amargós será um dos lutadores da segunda temporada da liga, que celebra combates em diferentes partes do mundo, como Hollywood, Miami, Las Vegas, Tóquio, Xangai, Hungria e Paris.

Para cada luta, um atleta cobra US $ 5.000, mas os prêmios podem ser aumentados com bônus. Um nocaute, por exemplo, adiciona 15 mil extras.

Os combates são três rounds de três minutos com um minuto de descanso entre cada um, o que exige bastante do atleta. Porém, Miguel afirma está preparado: "Estou fisicamente e mentalmente preparado para dar o máximo na estreia. O treinamento psicológico que estamos fazendo é importante, porque este é um esporte de contato total. Então você tem que ir lutar sabendo que pode haver uma fratura  no nariz ou uma lesão desse tipo, você tem que aumentar a tolerância à dor, por isso estamos nos concentrando muito na parte mental ", concluiuAmargós.

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes