Copa dos Quatro Continentes de Patinação Artística: Dia 2

Mais disputas intensas e uma grande surpresa nos resultados marcou o segundo dia de disputas da Copa dos Quatro Continentes de Patinação Artística, que está sendo realizada no Honda Center de Anaheim, Califórnia-EUA. Em Pares, a dupla canadense Moore-Towers e  Marinaro tomaram a frente das duplas chinesas favoritas, Sui/Han e Peng/Jin. Na Dança no Gelo, quatro duplas terminaram quase empatadas, com ligeira vantagem para Hubbell e Donohue, dos EUA. Na decisão do feminino, Rika Kihira, Elizabet Tursynbaeva e Mai Mihara (foto) saltaram diversas posições e conquistaram o pódio de virada.


Pares:

Um quase empate no primeiro lugar: a execução limpa do programa curto de Kirsten Moore-Towers/Michael Marinaro, do Canadá fez a diferença: a dupla terminou o programa curto na liderança, menos de 0,5 ponto à frente dos chineses Weijing Sui e Cong Han, medalhistas de prata das Olimpíadas de PyeongCheng-2018.

A dupla da China fez uma apresentação de alta complexidade, mas uma queda de Sui durante um salto triplo loop lado a lado acabou tirando pontos. "A queda doeu bastante. Essa é nossa primeira competição, então acho que estávamos um pouco animados demais", explicou a patinadora que voltou às competições internacionais após um ano afastadas para o tratamento de severas lesões múltiplas nos pés. 

A outra dupla chinesa, Cheng Peng e Yang Jin, medalha de prata no Grand Prix de 2019 ficou em terceiro lugar após uma performance irregular, onde acertou bons levantamentos e sequências de passos mas perdeu níveis de execução em espiral da morte, piruetas e teve uma queda de Peng com quase colisão na barreira da pista na saída de um lançamento em triplo loop. Em quarto, com um programa limpo e energético, mas de complexidade menor ficou a dupla dos EUA Ashley Cain e Timothy LeDuc.


Dança no Gelo:

Quatro pontos de diferença é o que separa os primeiros quatro colocados no final da Dança Rítmica-Tango, com mais um quase empate no primeiro lugar: Madison Hubbell e Zachary Donohue dos EUA ficaram com a melhor nota do dia, e outra dupla dos EUA, Madison Chock e Evan Bates—que volta às competições internacionais após dez meses de afastamento por conta de cirurgias nos pés de Chock—conquistou o segundo lugar, com menos de um ponto de diferença. Hubbel comentou que o resultado poderia ter sido melhor, lembrando que dois elementos da dupla acabaram tendo excecuções menos elaboradas e de mais baixa avaliação: "Temos alguns sentimentos divididos hoje, em momentos parecia muito bem, mas houveram momentos bastante questionáveis. Foi um testemunho do nosso treinamento ser capaz de dar uma performance forte uma semana após o Campeonato Nacional, para não necessariamente fazermos o nosso melhor, mas conseguir fazer o suficiente por hoje".

Duas duplas do Canadá, Kaitlyn Weaver e Andrew Poje e Piper Gilles e Paul Poirier ficaram respectivamente com o terceiro e quarto lugares, com os atuais campeões da Copa dos Quatro Continentes, Kaitlin Hawayek/Jean-Luc Baker em quinto lugar, seguindo pouco mais de 3,5 pontos atrás na classificação.


Feminino:

Grandes viradas na classificação marcaram o programa livre feminino: as japonesas Rika Kihira e Mai Mihara mais Elizabet Tursynbaeva do Cazaquistão, saltaram várias posições e conquistaram o pódio. 

Kihira, quinta no primeiro dia e ainda sob os efeitos de uma contusão na mão esquerda ficou com o ouro após reavaliar as condições da pista e optar nos últimos instantes por um programa ligeiramente simplificado mas ainda incluindo pelo menos um salto triplo axel: "Sobre o triplo axel, no aquecimento eu decidi se ia fazer um ou dois. Não tive tempo de treino o suficiente na pista principal, então optei pela segurança do programa e fiz apenas um".

Tursynbaeva, que ficou com a prata e se tornou a primeira mulher do Cazaquistão a ganhar uma medalha no torneio, havia terminado o primeiro dia apenas no sexto lugar. A patinadora de 18 anos incluiu um salto quádruplo salchow no programa, mas caiu na tentativa. Mesmo com o erro, ela não se abalou e conseguiu mais sete saltos triplos sem falhas, além de piruetas complexas. A classificação baixa no programa curto fez com que Tursynbaeva optasse por arriscar o salto quádruplo, ainda com pouco treino: "Eu não tinha nada a perder, então decidi tentar. Tenho que trabalhar nele, mas não foi mal para uma primeira vez em competição: completei os giros mas não aterrissei. Fiquei feliz por tentar e vou continuar tentando até conseguir."

Mai Mihara, do Japão, que no programa curto ficou apenas no 8o. lugar após problemas na saída da combinação de saltos que abriu a apresentação e depois na conclusão de um salto triplo flip fez uma grande performance no programa livre com apenas um erro pequeno de sub-rotação num salto triplo toe, e ficou com  a medalha de bronze. A campeã do torneio de 2018, e colega de treino de Mihara, a também japonesa Kaori Sakamoto teve uma apresentação com uma falha maior em um salto axel com apenas uma rotação, e ficou no quarto lugar. A líder do programa curto, Bradie Tennell, dos EUA, cometeu diversos erros de sub-rotação em seu programa comprometendo duas combinações de saltos e ficou apenas no quinto lugar.

A brasileira Isadora Williams, mesmo com alguns problemas na realização de saltos conquistou suas melhores marcas pessoais de programas livres e em somatórias finais após as mudanças de regulamento e terminou sua participação na Copa dos Quatro Continentes na 16a. posição no programa livre e na 17a. posição na somatória final.

Todas as tabelas com resultados, agenda de apresentações em horário local e súmulas detalhadas de julgamentos da Copa dos Quatro Continentes de 2019 estão disponíveis aqui, no site oficial de resultados do evento. A Copa dos Quatro Continentes prossegue hoje com as decisões de medalhas das categorias Pares e Masculina, à partir das 8 horas da noite (Horário de Brasília).

Foto: ISU


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes