CBSurf entra em crise com vice tentando destituir presidente e surfistas criam abaixo assinado

Semana tensa para o surfe nacional. Após a decisão da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf) de não enviar a equipe representante do Brasil para o ISA World Surfing Games 2018, o vice-presidente da entidade, Guilherme Pollastri, pedirá o afastamento do presidente Adalvo Argolo. A competição, que acontece entre os dias 15 e 22 de setembro, em Tahara, no Japão, vai distribuir duas vagas por gênero nos Jogos Pan Americanos de Lima, no Peru, em 2019.

Ao todo, seis atletas brasileiros se preparavam para disputar as quatro vagas (duas para o feminino e o mesmo número para o masculino), no Pan, que poderia render uma classificação para cada naipe nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Larisssa Pereira, Francisca Gilvanita, Anne dos Santos, Marcos Corrêa Amaro, Geovane Caiçara e Ian Gouveia formariam a delegação brasileira em Tahara. Ian pagou do seu próprio bolso para participar e é o único representante brasileiro no mundial. 

"No final das contas, foi impossível a compra das passagens, a viabilização do hotel, da alimentação e também do transporte no Japão. O fato é que, hoje (quarta-feira), o sistema de compras de passagens do COB não encontrou voos que não fossem pelos Estados Unidos, mas, como nenhuma das três meninas (Larissa dos Santos, Gil Ferreira e Anne dos Santos) tem visto americano, nós não podemos ir para o Japão apenas com os homens" disse o coordenador esportivo da CBSurf, Rosaldo Cavalcante, em comunicado.

A decisão gerou revolta entre surfistas brasileiros e o mundo ganhou conhecimento da causa através do compartilhamento de diversas mensagens de frustração nas redes sociais. Além disso, atletas criaram um abaixo assinado pedindo mudanças na gestão da entidade. A iniciativa é encabeçada por surfistas da elite do Circuito Mundial, como o campeão mundial Adriano de Souza e outros nomes de peso no esporte nacional, como Felipe Toledo e Italo Ferreira. Até o momento da confecção desse post, 7.197 pessoas já haviam assinado o documento.

Em meio ao cenário de crise, no mesmo dia o vice-presidente da Confederação, Guilherme Pollastri, divulgou um comunicado lamentando o ocorrido. Na mensagem, o dirigente - afastado do cargo por divergências com o presidente - revelou que há uma divisão massiva no interior da CBSurf e que pretende entrar com um pedido no Ministério Público solicitando a renúncia de Adalvo Argolo. 

"Diante da grave omissão administrativa, que impediu a participação da equipe brasileira no Campeonato Mundial da ISA, não poderia deixar de registrar, como vice-presidente, toda minha indignação e apoio aos atletas, as federações e ao surf brasileiro, que não mereciam este tipo de tratamento, adotando a partir de agora todas as medidas necessárias para o bem da CBSurf e dos atletas" disse o dirigente na nota.

Ao site UOL, Argolo mostrou-se surpreso com a decisão do vice-presidente, mas avaliou que este não é o momento para sua saída, já que o surfe vive um período de fragilidade: "Ele é um cara coerente, não acredito que ele faça isso, mas é direito de qualquer cidadão. Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos, temos uma boa relação, criamos uma relação de amizade e espero que ele não tome essa atitude, porque não é positiva para o esporte. Não é no momento de fragilidade que o esporte está passando que faz isso, seja a ser incoerente, mas prefiro acreditar que não aconteça."


foto: Reprodução
com informações do diário 'Lance!'

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes