Gui e Yamada apostam em trabalho pesado para o Brasil buscar uma boa colocação no Mundial de Tênis de Mesa por Equipes

Quando bons resultados começam a acontecer, não é obra do acaso. Muito trabalho, rotina de treinos, jogos e viagens fazem parte da vida dos mesa-tenistas em geral. Não é diferente com Jéssica Yamada e Lin Gui, integrantes da Seleção Brasileira que vai disputar o Campeonato Mundial de Tênis de Mesa por Equipes, em Halmstad, na Suécia, a partir do próximo domingo (29/4).

Em comum entre as duas, experiência e muito empenho para vencer, jogando e treinando longe do Brasil. Jéssica tem uma forte rotina na França há três anos. Lá, disputa a Liga (Pro A) e se adaptou totalmente ao dia a dia, que não é fácil. Mas tem sua recompensa:

“Estou me sentindo muito bem. Tenho tido um bom desempenho na Liga Francesa, o que me dá muita confiança para a disputa do Mundial”, enumera.

Lin Gui tem a experiência e a rodagem dos três anos morando e atuando na Europa. Lá, ela disputa as ligas locais, aumentando seu leque de conhecimentos:

“Agora estou mais acostumada com a vida daqui. Estou com mais experiência de jogo e espero levar isso tudo para o Mundial”, destaca a atleta, que tem na bagagem esportiva Olimpíada, Mundial e Pan-Americano. Ela confessa emoção em cada disputa e tira proveito disso:

“Claro que sinto frio na barriga quando represento o Brasil nos torneios mais importantes. É como eu digo: é sempre uma honra quando estou em ação. Sempre farei o melhor, lutarei sempre”, comenta.

O time brasileiro feminino tem uma vivência especial, mesmo com idades distintas das quatro mesa-tenistas (Bruna Takahashi com 17 anos, Caroline Kumahara tem 23, Lin Gui completou 24 e Jéssica está com 28). Com essa reunião de tantos talentos, Jéssica comemora:

“Fico muito feliz em ver o Brasil disputando os principais torneios entre os melhores do mundo. Isso prova que estamos evoluindo o nosso nível e ganhando nosso espaço no cenário mundial”.

Jéssica e Lin Gui acreditam em equilíbrio no grupo D, que tem Brasil, Hong Kong, Coreia do Sul, Alemanha, Tailândia e Luxemburgo.

“Qualquer equipe da Primeira Divisão é forte. Não existe uma única tática para vencer os demais times. O importante é o jogo a jogo. Precisamos estar preparadas para fazer o nosso melhor, não importando o que venha pela frente. O que posso garantir é que lutaremos muito para representar o Brasil da melhor maneira possível”, diz Jéssica.

O primeiro jogo da Seleção feminina acontece no domingo (29), às 5h, contra a Alemanha.

Foto: JIT


Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes