Definidos os campeões do Super Praia 2015


O Torneio Super Praia de Vôlei de Praia 2015, disputado em Maceió, conheceu seus campeões no último domingo (03).

No masculino, Alison e Bruno Schmidt venceram Ricardo e Emanuel (BA/PR) por 2 sets a 1 (21/14, 16/21, 11/15) e levaram o ouro.

Alison e Bruno Schmidt subiram juntos ao lugar mais alto do pódio pela sexta vez. Em 2014, a dupla tinha conquistado o SuperPraia A, disputado em Salvador (BA), contra a então dupla formada por Márcio Araújo e Ricardo (CE/BA). E as duas duplas dividiram o carinho da torcida, que apoiou os campeões olímpicos e a dupla do capixaba e do brasiliense em momentos alternados. O público foi parte integral da festa. Desde cedo encheram a arena e participaram com as brincadeiras da equipe de animação, vibrando muito.

Emocionado, Alison desabou após o ponto final da vitória. Na areia e em lágrimas, momento em que relembrou o período de recuperação da operação no joelho. Ele também projetou o início do Circuito Mundial, que faz parte da corrida olímpica para Rio 2016.

"Não tenho palavras, foram seis meses difíceis na minha carreira como jogador, mas evolui muito como ser humano. Deu para aprender que existe uma vida após o vôlei. A gente fica muito acostumado a essa vida de viagens e campeonatos. Quero agradecer a Confederação Brasileira de Voleibol, ao Comitê olímpico Brasileiro, a todos os fisioterapeutas, foram cinco, minha equipe em Vitória (ES), em nenhum momento eles me soltaram nem me deixaram desanimar. Eu tentei fazer o meu melhor ao lado do Bruno e estou aqui. Agora o foco é o Circuito Mundial, enfrentamos todos os times brasileiros que estarão lá e foi um grande teste", celebrou Alison, após o bicampeonato.

"Esse troféu gigante vai ficar lindo lá em casa, estou arrepiado com o que o Alison fez. Vi poucas pessoas fazerem igual, é de emocionar. Vi todas as dificuldades dele, as dores, a pressa de recuperar o peso ideal. As lágrimas dele são muito sinceras, são de muita vontade de vencer com o nosso time. Estou feliz demais com a nossa crescente, isso é um ponto positivo para nossa campanha no Circuito Mundial. Óbvio que lá fora será muito difícil, o campeonato é mais longo, mas gostamos deste tipo de competição, assim como do SuperPraia", completou Bruno Schmidt,

Na disputa da medalha de bronze teve como vencedor Pedro Solberg/Evandro (RJ). Os cariocas superaram os ex-parceiros Álvaro Filho e Vitor Felipe (PB), com triunfo por 2 sets a 0 (22/20, 21/19), e completaram o pódio do último torneio do calendário nacional.


Ágatha e Bárbara Seixas conquistarem o título do SuperPraia A na capital alagoana. Elas derrotaram de virada Larissa e Talita (PA/AL) na manhã deste domingo (03.05), por 2 sets a 1 (21/17, 19/21, 13/15), e venceram o torneio que reúne os oito melhores times da temporada pela primeira vez.

Foi a oitava vez que Ágatha e Bárbara Seixas subiram juntas ao lugar mais alto do pódio, somando competições nacionais e internacionais. Além disso, foi a primeira vez que Larissa e Talita acabaram derrotadas em uma final, já que tinham vencido as outras 11 decisões em que chegaram. O público também foi parte integral da festa, lotaram totalmente a arena e participaram com as brincadeiras e vibrando muito.

Após a vitória, Ágatha comentou a paciência da dupla durante a final, já que saíram atrás no placar. Além disso, a paranaense comemorou terminar a temporada nacional com um título, pouco antes do início da participação do Circuito Mundial e da corrida olímpica.

"A confiança gira muito durante a partida. Acertar aquela jogada que você está acostumada a treinar, aquela bola favorita. E taticamente pensar em algo que vá favorecer o seu time. É um jogo de xadrez. Estamos de parabéns porque soubemos fazer isso no torneio sem o técnico no banco, já pensando no Circuito Mundial, onde eles não podem ficar", destacou Ágatha, que também comentou a importância do lado mental na decisão.

"Essa final foi de paciência, elas começaram muito bem e nós muito mal. A Larissa começou sacando demais, dificultando minha recepção. Contra times grandes o jogo tem que ser calmo, ter tranquilidade. Pois se você entrar na afobação, erra tudo. Uma jogada, um fundamento de cada vez. E a paciência foi a tônica da nossa dupla no jogo inteiro. Ficamos felizes por terminar a temporada bem e quero esse espírito para nós no Circuito Mundial, era o momento em que tínhamos que chegar bem".

A parceira da paranaense, a carioca Bárbara Seixas, fez análise similar da decisão contra as atuais campeãs do circuito brasileiro. Ela lembrou que a dupla teve um começo de calendário nacional abaixo do esperado, mas que conseguiu crescer no momento certo, dentro do planejado.

"Estou muito feliz, a gente sabia que tudo fazia parte de um processo, de um planejamento e que teríamos que ter paciência para crescermos na hora certa. Tanto a melhora física gradativa quanto os treinamentos técnicos e táticos. E mais do que nunca jogarmos juntas. Só tenho a agradecer nossa comissão técnica, minha parceira, a nossa psicóloga Maíra Ruas. Começamos bastante atrás no primeiro set, mas tivemos calma de retomar o foco. Esse trabalho mental é muito importante. Tem que ter muita paciência e acreditar no ponto a ponto. É isso que trabalhamos a cada dia", comemorou Bárbara Seixas.

Na disputa da medalha de bronze, Fernanda Berti e Taiana (RJ/CE) levaram a melhor sobre Juliana/Maria Elisa, com triunfo por 2 sets 1 (21/17, 12/21, 15/10) e completaram o pódio.


Fotos: CBV

Postar um comentário

Copyright © Surto Olimpico. Designed by OddThemes