Últimas Notícias

Mariana D’Andrea brilha e conquista primeiro título Mundial do halterofilismo brasileiro

Mariana D’Adrea sorri após movimento válido em competição | Foto: Alexandre Carvalho/CPB




Enfim, neste sábado (26), o Brasil subiu ao lugar mais alto do pódio e conquistou o primeiro ouro do país em um Campeonato Mundial de halterofilismo. A façanha foi alcançada pela campeã paralímpica Mariana D’Andrea, de 25 anos. Para completar o grande dia, a brasileira também se tornou dona da maior marca do mundo na categoria até 79kg, ao suportar 151 kg em seu terceiro movimento.


O resultado de Mariana já garante ao Brasil sua melhor campanha em um Mundial de halterofilismo. Agora, o país tem uma medalha de ouro e uma de bronze, esta da mineira Lara Lima, na disputa da elite da modalidade (veja como foi). Além disso, a delegação obteve um ouro entre os juniores, também de Lara (veja também)

 

O Campeonato está sendo disputado em Dubai, nos Emirados Árabes, teve seu início na terça-feira (22) e vai até o dia 30 de agosto no hotel Hilton Habtoor City, onde as delegações estão hospedadas.

 

O ouro de Mariana, que havia sido vice-campeã na Geórgia em 2021, mas na categoria até 73 kg, veio após uma disputa quilo a quilo com a nigeriana Bose Omolayo, até então líder do ranking na categoria até 79 kg. Mariana encerrou a primeira rodada com 141 kg levantados, ante 140 kg da rival. Na segunda tentativa, a paulista suportou 146 kg e a nigeriana 145 kg.

 

No seu terceiro e ultimo movimento, a nigeriana registrou a marca de 150 kg, colocando pressão sobre a brasileira. No entanto, Mariana ergueu 151 kg, garantindo o ouro e o novo recorde mundial da paullista, que nasceu em Itu e tem baixa estatura.

 

A prova teve ao todo três quebras do recorde mundial, que era de Bose, responsável por levantar 145kg, em outubro de 2022. Mariana estabeleceu novas marcas ao suportar 146 kg e 151 kg, enquanto a própria nigeriana, por um momento, também chegou a recuperar o posto de recordista mundial ao erguer 150 kg. 

 

O Brasil chega a seu sétimo pódio em Campeonatos Mundiais, o terceiro de Mariana. Em provas individuais, esta foi a quinta medalha, o primeiro ouro. A paulista agora soma este ouro e uma prata (Geórgia 2021); e três bronzes, com a mineira Lara Lima (Dubai 2023), o baiano Evânio Rodrigues da Silva (México 2017) e a paranaense Márcia Menezes (Dubai 2014). Todos os medalhistas participam do Mundial de Dubai em 2023.

 

Além dessas medalhas, o país tem duas pratas com seu time misto, na Geórgia, em 2021, e no Cazaquistão, em 2019, esta última com a participação de Mariana.

 

Na mesma disputa de Mariana, a mineira Caroline Fernandes ergueu 116 kg e ficou com a sétima posição. O bronze foi para a chinesa Miaoyu Han, que ergueu 140kg. 


Mais cedo, na prova da categoria até 73 kg, Ângela Teixeira suportou 103 kg em sua terceira tentativa, após dois movimentos anulados, e igualou a marca obtida na Seletiva para os Jogos Parapan-Americanos de Santiago. Na mesma disputa, Laira Guimarães ergueu 101 kg em sua segunda e melhor tentativa. As halterofilistas ficaram na décima primeira e décima terceira posições, respectivamente.

 

O pódio foi formado pela nigeriana Kalifa Almaruf, com o ouro (140kg), pela chinesa Xu Lili, prata (134 kg), pela  francesa Souhad Ghazouani bronze (131 kg). Após a competição, Kalifa ainda propôs um desafio ao recorde Mundial de 150kg, que pertencia à francesa Souhad desde 2013, e conseguiu suportar 151 kg, nova marca da categoria. 

 

As disputas deste domingo (27) terão dois participantes dos últimos Jogos Paralímpicos. O paulista Bruno Carra, 34, e o potiguar João Maria França Junior, 27, competem juntos na categoria até 54 kg. Além deles, três brasileiros estreiam em um Mundial neste domingo.

 

Confira a programação dos brasileiros em Dubai neste domingo (27)

4h45 - Bruno Carra e João Maria França Junior - Categoria até 54kg

9h55 - Ana Paula Marques e Naira Célia da Cruz - Categoria até 61kg

11h15 - José Arimateia Lima - Categoria até 97kg


0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar