Armand Duplantis e Tobi Amusan encerram o Mundial de Atletismo com recordes mundiais; EUA vence o quadro de medalhas


O sueco Armand Duplantis e a nigeriana Tobi Amusan encerraram no domingo (25) o Mundial de Atletismo, realizado em Eugene (USA), em grande estilo, com dois recordes mundiais.

No salto com vara masculino, Duplantis chegou a dar um gostinho de que haveria competição ao errar o primeiro salto em 5.70m, mas logo ele mostrou que não veio para brincar e passou facilmente as outras alturas.

Com os adversários mais próximos caindo pelo caminho e ficando na altura de 6m, inclusive o estadunidense Christopher Nilsen (prata) e o filipino Ernest Obiena (bronze, mas com mais tentativas), Duplantis mirou o recorde mundial após passar tranquilamente pela altura.

Após errar a primeira tentativa em 6.21m, Duplantis passou a segunda com tranquilidade para levar o estádio a loucura e quebrar de novo o recorde mundial.
No 100m com barreiras feminino, Amusan deu logo o tom de um dia histórico, quebrando o recorde mundial logo na prova semifinal, com 12.12s e vento de 0.9s, quebrando o antigo recorde por 0.8s.

Na final, Amusan não tirou o pé e ganhou o ouro baixando mais ainda, para 12.06s, mas a marca não foi homologada, uma vez que o vento a favor foi superior a 2.0m/s (2.5m/s no momento da prova).

A prata ficou com a jamaicana Britany Anderson (12.23s) a mesma marca da portorriquenha Jasmine Camacho-Quinn, mas Anderson levou a melhor nos décimos (12.224 contra 12.229).
No decatlo, o francês Kevin Mayer somou 8816 pontos para vencer após as 10 provas. O canadense Pierce LePage foi o segundo com 8701 pontos e o estadunidense Zachery Ziemek em terceiro, 8676 pontos.

O norueguês Jakob Ingebrigtesen levou os 1500m masculino, com a marca de 13 minutos, 9 segundos e 24 centésimos. A prata ficou com o queniano Jacob Kiprop (13:09:98) e o bronze com o ugandense Oscar Chelimo (13:10:20).

A vitória nos 800m foi para a estadunidense Athing Mu, que ganhou com 1 minuto, 56 segundos e 30 centésimos. A britânica Keely Hodgkinson terminou em segundo (1:56.38) e a queniana Mary Moraa em terceiro (1:56.71).


Na prova dos 4x400m feminino, os Estados Unidos venceu com 3 minutos 17 segundos e 79 centésimos, deixando a Jamaica com a prata (3:20.74) e a Grã-Bretanha com o bronze (3:22.64).

Os Estados Unidos também ganhou o 4x400m masculino, com o tempo de 2 minutos 56 segundos e 17 centésimos. A Jamaica ficou em segundo (2:58.58) e a Bélgica terminou em terceiro (2:58.72).


Estados Unidos leva o quadro de medalhas


No quadro de medalhas, os Estados Unidos ficaram em primeiro com 13 ouros, 9 pratas e 11 bronzes (33 no geral. Foi uma performance tão avassaladora que a segunda colocada Etiopia teve 4 ouros, 4 pratas e 2 bronzes (10 no total).

A Jamaica ficou em terceiro, com 2 ouros, 7 pratas e 1 bronzes (10 no total).

O Brasil acabou em 19º lugar, com 1 ouro (Alison dos Santos 400m com barreiras) e 1 bronze (Letícia Oro Melo no salto em distância). 

A surpresa foi o Peru, com dois ouros obtidos na marcha atlética feminina por Kimberly Garcia.

Foto: REUTERS/Pawel Kopczynski

Postar um comentário

To Top