Petrúcio Ferreira disputa etapa da Diamond League na Noruega


O paraibano Petrúcio Ferreira, 25, da classe T47 (para atletas com deficiência nos membros superiores), é um dos esportistas paralímpicos convidados para a etapa de Oslo, na Noruega, da Diamond League, um dos principais eventos de atletismo do mundo. Na próxima quinta-feira, 16, o velocista participará de uma disputa que vai reunir os oito atletas paralímpicos que obtiveram os melhores tempos nos 100 m, em cinco classes, no ano de 2021.

Além de velocistas da classe T47, à qual pertence Petrúcio, haverá atletas com deficiências visuais (classes T12 e T13) e esportistas que têm deficiências nos membros inferiores e competem com próteses (classes T62 e T64).

Petrúcio é o atleta paralímpico mais rápido do mundo, ou seja, o dono do melhor tempo nos 100 m, independentemente da classificação esportiva. No último dia 31 de março, durante o Desafio CPB/CBAt, realizado no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, o paraibano bateu o recorde mundial da prova em sua classe ao terminar o percurso em 10s29. À ocasião, o velocista superou sua própria marca de 10s42, obtida no Mundial de atletismo de Dubai, em 2019. Nenhum esportista paralímpico, na história, correu abaixo destes dois tempos registrados por Petrúcio.

"Disputar uma etapa da Diamond League é a realização de um sonho. É uma grande competição. Considero que é a abertura de mais uma porta para o Movimento Paralímpico. É mais uma oportunidade de conquistarmos o nosso espaço", disse o atleta, que embarca na próxima segunda-feira, 13, para a Noruega.

Esta será a primeira vez de Petrúcio no país nórdico. A previsão climática aponta que a cidade de Oslo, que está na primavera, terá máxima de 20º C e mínima de 12º C na próxima quinta-feira. Tais temperaturas são consideradas baixas, mas suportáveis pelo paraibano, que chegou a enfrentar 28º C nesta semana em João Pessoa.

"Já ouvi dizer que na Noruega faz muito frio, mas, neste período, não é tão gelado. Creio que vou me adaptar legal ao clima. Estou bastante focado e espero trazer um bom resultado para o Brasil", afirmou Petrúcio.

Sobre os seus adversários, o velocista brasileiro salientou que são atletas difíceis de serem vencidos. "Não será uma prova fácil. Teremos outros paralímpicos rápidos. Isso é bem legal. Será um tiro de 100 m bastante forte", avaliou.

Um dos oponentes de Petrúcio nesta disputa em Oslo será o congolês naturalizado norueguês Salum Kashafali, da classe T12. Nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, Salum terminou os 100 m em 10s43, subiu ao lugar mais alto do pódio e bateu o recorde mundial da sua classe. Além disso, ficou apenas a um segundo de igualar a melhor marca, até então, do paraibano.

Outro atleta que já fez o percurso abaixo dos 10s50 e que também estará na capital norueguesa é o irlandês Jason Smith, da classe T13. Nos Jogos de Londres 2012, o velocista conquistou a medalha de ouro com o tempo de 10s46. Esta é a melhor marca de sua classe até hoje.

Foto: REUTERS/Ivan Alvarado

Postar um comentário

To Top