Após combate eletrizante, Brasil vira sobre Argentina e leva bronze no florete masculino por equipes do Pan de Esgrima


A esgrima brasileira segue alcançando resultados expressivos no Campeonato Pan-Americano, que acontece no Parque Olímpico de Assunção, no Paraguai, e da melhor forma: com medalha. Nas disputas por equipes do florete, realizadas nesta segunda-feira (6), os brasileiros faturaram o bronze no masculino após aplicarem uma bela virada diante da Argentina no combate que decidiu a terceira posição. Além do pódio no masculino, o Brasil ficou no Top 4 na disputa feminina da arma.

Formada por Guilherme Toldo, Heitor Shimbo, Henrique Marques e Paulo Morais, a equipe brasileira foi para a disputa da medalha de bronze contra os argentinos em um embate que deu trabalho. Os nossos vizinhos venciam o duelo por 40 a 37 até a entrada de Toldo na pista, o último dos esgrimistas a entrar em ação.

E com uma grande atuação individual, o brasileiro virou o duelo para 45 a 41, sofrendo apenas um toque, garantindo a medalha de bronze e uma vaga nos XIX Jogos Pan-Americanos de 2023, previstos para acontecer em Santiago, no Chile.

“Contra a Argentina começamos muito bem, abrindo 10 a 5, mas depois eles chegaram a abrir seis pontos na nossa frente”, descreveu. “Aí o Guilherme entrou e havia muito tempo que eu não via ele tão focado no que fazia. Tanto que ele não vibrou, só no último ponto”, analisou o técnico Ricardo Ferrazzi.

E a virada não foi contra qualquer esgrimista. Foi sobre Augusto Servello, um atleta muito experiente e que mora na Europa há muito tempo. O que só aumenta o feito de Toldo e de toda a equipe.

O time verde e amarelo começou a sua campanha rumo ao bronze no quadro de 16 quando ficou de bye. No quadro de 8, triunfo diante do Chile por 45 toques contra 30.

“No primeiro combate, contra o Chile, o placar foi largo. Foi um pouco tenso, mas tudo controlado, o tempo inteiro. A tática certa, todos jogando muito. Isso foi muito legal”, relatou Ferrazzi.

O adversário da semifinal foi o Canadá, que venceu os brasileiros por 45 a 34. “Contra o Canadá, uma equipe muito mais forte e com atletas que correm no Circuito Mundial, a gente perdeu por onze pontos de diferença, o que não foi ruim, mas podia ter sido um pouquinho mais parelho”, ponderou.


Floretistas brasileiras ficam na quarta posição no feminino


Com Bia Bulcão, Mariana Pistoia, Talia Calazans e Rafaella Gomes, a esquadra feminina passou do quadro de 16 ao quadro de 8 por bye. Com a vitória por 45 a 23 sobre a Colômbia, as brasileiras avançaram à semifinal contra o Canadá.

Superadas em 45 toques contra 25, decidiram a medalha de bronze contra o Chile. E por apenas um toque, 44 a 43, o Brasil ficou fora do pódio. Mas não voltou de mãos abanando do Paraguai. Trouxe junto na bagagem uma vaga nos XIX Jogos Pan-Americanos de 2023.

Foto: BizziTeam/FIE

Postar um comentário

To Top