Tainara Mees e Renan Gallina brilham no primeiro dia do Brasileiro Sub-20 de Atletismo


A catarinense Tainara Mees (Itapiranga-SC) e o paranaense Renan Correa Gallina (AA Maringá-PR) são os atletas mais rápidos do Campeonato Brasileiro de Atletismo Sub-20 ao vencerem as provas dos 100 m, disputadas na tarde da sexta-feira (22/4), no Estádio do Centro Olímpico de Treinamento em Pesquisa, na Vila Clementino, em São Paulo. Os dois garantiram também vaga na seleção brasileira para o Campeonato Pan-Americano e índices para o Mundial de Cáli da categoria.

Tainara e Renan fizeram uma competição perfeita. Correram três vezes – eliminatória, semifinal e final – com tempos abaixo das marcas mínimas exigidas pela World Athletics para o Mundial. “Estou muito feliz, com a sequência da prova, principalmente que comecei o ano com uma lesão no calcanhar direito. Sabia que podia conseguir o índice e por isso estou muito satisfeita”, disse Tainara, de 17 anos, que ganhou a medalha de ouro, com 11.79 (0.5), depois de correr 11.80 na eliminatória e 11.84 na semifinal (o índice é de 11.90).

Por causa da lesão, não sabe se disputará os 200 m. Ela abriu mão também do heptatlo, especialidade em que é campeã brasileira sub-18 de 2021. “Fiz um teste em Cascavel, antes do Brasileiro, e me senti confiante”, completou a atleta treinada por Cleison Ariel Back.

Natália Campregher (APA/SECEL Jaraguá do Sul-SC), de 17 anos, ficou em segundo lugar, com 11.99, seguida de Rayssa Romão Rodrigues (APA-SP), de 19 anos, com 12.13.

Já Renan Gallina, de 18 anos, conquistou a medalha de ouro, com o tempo de 10.52 (0.1). Depois de correr a eliminatória em 10.60 e a semifinal em 10.50, entrou confiante na briga por medalhas. “Foram três tiros bons e muito gratificantes. Só tenho de agradecer a minha família, treinadores e amigos pelo apoio e torcida que tenho”, comentou ao festejar o índice e a vaga no Pan-Americano. “São duas competições muito importantes”, lembrou Renan, que é treinado por Sandra Regina Crul. “Agora vou para os 200 m e não vou disputar o salto em altura por causa da pandemia. Eu preferi me concentrar na velocidade”, concluiu o atleta, que representou o Brasil no Mundial Sub-20 de Nairóbi-2021.

Lucas Gabriel Fernandes Antunes (UCA-SC) ficou com a medalha de prata, com 10.63, seguido de Thamer Moreira Alves Villar (CAES-ES), que ficou em terceiro, com 10.64.

Nos 400 m com barreiras, as três primeiras colocadas na final superaram a marca mínima de 1:01.00 da WA. Amanda Miranda da Silva (Geração Cianorte-PR), de apenas 16 anos, ficou com o ouro, com 1:00.55. Camille Cristina de Oliveira (Barra Bonita-SP) levou a prata, com 1:00.59, seguida de Letícia Quingostas de Oliveira (A.D. Centro Olímpico), com 1:00.91.

“Embora nova, estava muito confiante em vencer e em conseguir o índice”, disse Amanda, que representará o Brasil nos Jogos Sul-Americanos da Juventude Sub-18, em maio, em Rosário, Argentina. “Estou bem treinada e fiquei muito feliz com a vitória. Esperava um tempo melhor, mas não posso reclamar”, prosseguiu a paranaense, orientada por Tamires Aparecida dos Santos, também de Cianorte. “A Amanda faz atletismo há 4 anos e tem muito potencial”, comentou Tamires.

Após cinco provas, Mayron Lucas dos Santos Gomes (APCEF/MG) lidera o decatlo, com 3.727 pontos. José Darlan Souza de Lima (Sport Club do Recife-PE), com 3.655, e Luiz Arthur Caetano da Silva Santos (APCEF/MG), com 3.520 pontos, ficaram em segundo e terceiro lugares.

Aylana Ferreira Cezar (AD Centro Olímpico-SP) e Vinícius de Carvalho Alves (Orcampi-SP), os dois primeiros campeões do Campeonato Brasileiro Sub-20 na manhã da sexta-feira (22/4), comemorando o título e os bons tempos nos 3.000 m rasos. Sete índices para o Campeonato Mundial Sub-20 de Cáli, Colômbia, de 1 a 6 de agosto também foram copnquistados.

Vinícius de Carvalho Alves, que já tem índice para ir ao Mundial nos 3.000 m com obstáculos, ficou com o bicampeonato brasileiro dos 3.000 m rasos, com o tempo de 8:33.98, melhorando o recorde da competição, que já era dele, do ano passado. Jânio Marcos Varjão (Barra dos Garças-MT) foi vice-campeão da prova (8:39.97) e Bernardo Prior (APA-RS), o terceiro colocado (8:59.83).

"Fiz uma prova estratégica, corri pensando na final, mas vim para quebrar o meu recorde. Agora quero ir bem no Pan-Americano e no Troféu Brasil e ir para a final do Mundial nos 3.000 m com obstáculos. Vou correr essa prova aqui no Brasileiro, no domingo", disse Vinícius, de 18 anos, que começou nas escolinhas do Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima (IVCL) em 2016, vive em Campinas e treina com Alex Lopes.

Aylana Ferreira Cezar, depois de uma temporada atrapalhada por lesões em 2021, vem tendo um 2022 muito bom. Confirmou a boa fase ao vencer os 3.000 m rasos em 10:07.32, sua melhor marca pessoal, seguida por Gabriela Tardivo (IPEC-PR), com 10:27.53, e Luísa Monteiro de Almeida (Sogipa-RS), com 10:43.16.

"Estou muito feliz. Este ano já fiz meu melhor tempo nessa prova três vezes e ainda vou correr os 3.000 m com obstáculos, prova na qual sonho fazer índice para o Mundial. Garanti vaga para o Pan e minha expectativa só vai aumentando", disse Aylana, de 18 anos, treinada por Luiz Gustavo Cândido.

Foto: Wagner Carmo/CBAt

Postar um comentário

To Top