Zverev critica torcida brasileira na Davis, mas cogita participação em um futura edição de Rio Open: "Não guardo mágoas"

Alexander Zverev


 

Alexander Zverev foi o grande nome da Alemanha no duelo contra o Brasil na Copa Davis. Dono de duas das três vitórias que garantiram o país na fase final da competição, o número 3 do mundo se mostrou bem chateado com a torcida brasileira, que pegou bastante no pé dele durante a partida contra Thiago Monteiro. Na entrevista coletiva, ele reclamou de alguns xingamentos que ele ouviu:


"As pessoas que vieram aqui assistir tênis, torcer pelo Brasil e pelos seus tenistas de forma respeitosa, têm todo meu respeito. Você pode me amar ou me odiar, dizer o que quiser, para mim tanto faz. Mas quando chega em ofensas à família, ou alguém que você ama, é cruzada uma linha, onde começa o desrespeito, e foi o que aconteceu aqui hoje. Quando começam a falar da mãe de alguém, da filha, de alguém que você ama, é aonde para mim algumas pessoas cruzaram a linha" 


Zverev, que pediu silêncio à torcida brasileira após a vitória sobre Thiago e se recusou a dar a  entrevista na quadra, afirmou que sua namorada Sohpia Thomalla foi xingada pelos brasileiros durante o jogo. Sophia inclusive fez uma postagem nas redes sociais zombando os brasileiros após o duelo: "Brasil, foi uma honra, chutamos o traseiro de vocês de novo! Adeus!"


Questionado sobre a atuação da torcida no confronto, Thiago Monteiro disse que não viu ninguém sendo desrespeitoso com o Zverev durante o jogo: "A torcida incentivou bastante, isso foi ótimo. Claro que pegaram no pé do Zverev (a torcida em muitos momentos gritou "Ah, é Acapulco", relembrando o nome da cidade onde o alemão teve um ataque de fúria, acertando a raquete na cadeira do árbitro e sendo expulso do torneio), mas não vi ninguém sendo desrespeitoso com ele durante o jogo."


Mas xingamentos à parte, Zverev disse não ter guardado mágoa sobre os eventos e inclusive aceitaria ser convidado para disputar o próximo Rio Open em 2023: No fim das contas, não guardo mágoas, cumprimentei todos do Brasil no vestiário. Tênis é um negócio. Eu não garanto nada, mas se me quiserem aqui, o Marcelo Melo tem o meu contato, eu tenho o dele e a organização do Rio Open pode falar comigo"


Foto: Luiz Cândido/CBT

Postar um comentário

To Top