Com direito a estreia de Nathalie Moellhausen no ano, Esgrima do Brasil têm compromissos na Europa e na Ásia

Nathalie Moellhausen se preparando para o jogo

O país segue com a maratona internacional de competições de esgrima neste começo de 2022. A partir da sexta-feira (28), sete brasileiros irão à plataforma em dois campeonatos distintos: o Grand Prix de Espada, em Doha, no Catar, e a Copa do Mundo de Sabre, em Plovdiv, na Bulgária. O destaque fica por conta da estreia de Nathalie Moellhausen na temporada, que marca o início do novo ciclo olímpico.

A campeã mundial de 2019 está na capital catari para competir no Grand Prix, assim como Victória Vizeu, no feminino, e Alexandre Camargo, no masculino. O torneio, que se encerra no próximo domingo, servirá como teste para Nathalie, que implementou novas formas de treinos nos últimos meses.

“É uma competição importante para mim, pois estou fazendo, nos últimos tempos, um novo tipo de treino, mudei várias coisas da minha preparação, então vai ser um torneio para testar algumas das novas técnicas. Por isso, não estou muito preocupada com o resultado, pois sei que leva um tempo para aparecer quando se tem mudanças”, disse a principal brasileira na espada.

“Estou ansiosa para participar da competição. Vou buscar me divertir e descobrir novas coisas. No meu caso, a minha base já está formada há anos, agora, entrei em uma fase em que quero afinar alguns elementos, adaptar o meu trabalho às minhas condições físicas atuais e continuar pesquisando. É isso que me dá motivação”, completou.

Além disso, a espadista detalhou os motivos principais que a fazem seguir motivada para participar de competições.

“Eu tenho essa curiosidade de investigar os movimentos da esgrima, que tem várias possibilidades de expressão, é isso que continua me motivando. Tudo o que estou fazendo, incluindo as minhas participações em competições, tem como finalidade desenvolver os meus projetos, que têm um caráter artístico e social, para eu conseguir ajudar a passar os valores da esgrima aos mais jovens”, explicou.

Em Doha, Nathalie é a cabeça de chave nº10 e, por isso, já está automaticamente classificada para a fase principal. Por outro lado, Victória Vizeu terá de passar pela pule, fase em que já conhece as adversárias de grupo. A brasileira enfrentará: Maram Ibrahim, atleta da casa; Jade Sersot, da França; Yuliya Svystil, da Ucrânia; Najlaa Al Sharki, da Síria; Haruna Baba, do Japão; e Nelli Differt, da Estônia, em embates válidos pela pule 11. Os confrontos do masculino só serão conhecidos nesta sexta-feira.

Em Plovdiv, na Bulgária, o país será defendido por quatro esgrimistas na Copa do Mundo de Sabre: Giulia Gasparin, Luiza Lee, Luana Pekelman e Karina Trois, que disputam o torneio individual até sábado e, no domingo, se reúnem para representar o Brasil por equipes.

Luana vem de dois finais de semana seguidos de competições internacionais. Primeiro, ela se destacou no campeonato adulto da Copa do Mundo de Sabre, na Geórgia, ao terminar a pule invicta e avançar diretamente para a fase principal (ela caiu no quadro de 64).

Na última semana, ela jogou a Copa do Mundo Júnior da arma, na Espanha, em que parou novamente no quadro de 64 da fase principal depois de uma pule quase perfeita com apenas uma derrota.

“Estou me sentindo bem mental e fisicamente, além de confortável em relação ao meu jogo. Estou sempre buscando preparar a minha mente para as competições internacionais, pois a cabeça é uma parte essencial para se ter bons resultados em torneios desse porte. Sinto que estou progredindo bastante e me sentindo confiante para jogar”, comentou a atleta.

Na Bulgária, todas as brasileiras terão de passar pela pule. Luiza Lee está na 1; Luana Pekelman, na 8; Karina Trois, na 13; e Giulia Gasparin, na 17.

Foto: Augusto Bizzi/FIE

Postar um comentário

To Top