Seleção masculina de vôlei sub-21 estreia no Mundial contra a Rússia - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Seleção masculina de vôlei sub-21 estreia no Mundial contra a Rússia

Compartilhe


A seleção brasileira sub-21 masculina de voleibol está em Sofia, capital da Bulgária, para a disputa do campeonato mundial da categoria. O time do Brasil, comandado pelo técnico Giovane Gávio, estreia na quinta-feira (23) contra a Rússia, às 10h (horário de Brasília).

A equipe está em terras búlgaras desde o dia 15 deste mês e realizou amistosos contra a Bulgária (dois), a Rússia e o Bahrein. Para o treinador brasileiro a reta final da preparação já em uma das sedes da competição (a Itália também recebe jogos do mundial) foi de grande valia e está confiante para a estreia.

“A reta final de nossa preparação foi muito boa, conseguimos fazer jogos amistoso, e avaliar bem o time. A estreia tem sempre um componente emocional importante, e vamos enfrentar uma grande força que é a Rússia, atual campeã europeia da categoria. Mas nós vamos enfrentá-los buscando fazer o nosso melhor. Nosso desafio será manter nossa virada de bola equilibrada, pois a equipe russa tem um saque muito forte. Se conseguirmos fazer isso teremos boas chances de estrear com vitória”, disse Giovane, que aproveitou para falar também sobre o outro adversário do grupo D: o Canadá.

“O Canadá é uma equipe muito rápida, não são tão altos quanto os russos, mas jogam com muita velocidade. Nosso time está bem preparado, e em um clima bom”, completou o treinador.

A seleção de Camarões, que também faria parte do grupo D, não compareceu à reunião preliminar da competição e foi desclassificado. Com isso, as partidas da primeira fase contra a equipe camaronesa será computada como vitória por 3x0 e todas parciais em 25/0.

A competição reúne 16 seleções, divididas em quatro grupos. As equipes jogam entre sim dentro de cada grupo e os dois melhores avançam para a fase seguinte.

O Brasil viaja para o mundial com os levantadores Gustavo Orlando e Rafael Forster; o líbero Pedro Tomasi; os opostos Darlan Souza e Guilherme Sabino; os ponteiros Adriano Xavier, Paulo Vinicios Ferreira, Felipe Varela e Arthur Bento; e os centrais Guilherme Rech, Kelvi Geovani e Leonardo Andrade. Nesta categoria o Brasil tem 14 medalhas em mundiais (quatro ouros, seis pratas e três bronzes).

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário