Bicampeão olímpico Yuriy Sedykh morre vítima de ataque cardíaco

 


A Federação Russa de Atletismo revelou que o bicampeão olímpico do no arremesso de martelo Yuriy Sedykh, faleceu aos 66 anos vítima de um ataque cardíaco.

O atleta, nascido na Ucrânia, competiu pela União Soviética e foi ouro nas edições olímpicas de Montreal 1976 e em Moscou 1980, mas não disputou a edição de Los Angeles em 1984 devido ao boicote do bloco soviético ao ocorrido em 1980.

Voltou a disputar uma edição olímpica em Seul 1988 e foi ao pódio novamente, desta vez com uma medalha de prata.

Sedykh estabeleceu o recorde mundial do arremesso de martelo em Stuttgart, na edição do Campeonato Europeu de 1986, com a marca de 86,74 m e que permanece até hoje como a melhor marca da história.

Segundo o ex-diretor do laboratório antidopagem russo de Moscou, Grigory Rodchenkov, escreveu em seu livro "O caso Rodchenkov: Como Derrubei o Império Secreto do Doping da Rússia", relata que Sedyky era um “grande abusador de esteróides” e que era protegido por funcionários do governo soviético.

Rodchenkov alegou que em uma das amostras de Sedykh continha vestígios tão grandes do esteróide anabolizante estanozolol que contaminou o equipamento do laboratório.

Sedykh sempre negou o doping.

Após sua aposentadoria, o atleta mudou-se para França e trabalhou como professor de educação física.

Sua esposa Natalya Lisovskaya, foi ouro olímpico em Seul 1988 no arremesso de peso.

Sua filha Alexia ganhou o ouro do arremesso de martelo representado a França nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2010 em Singapura.

Foto: Divulgação

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024?

Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco.

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Postar um comentário

To Top