Guia Paralimpíadas Tóquio 2020: Rugby em cadeira de rodas - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Guia Paralimpíadas Tóquio 2020: Rugby em cadeira de rodas

Compartilhe
Regras do rugby em cadeira de rodas

RUGBY EM CADEIRA DE RODAS

O rugby em cadeira de rodas foi criado em 1977 em Winnipeg, no Canadá, por um grupo de atletas tetraplégicos. A ideia inicial era desenvolver uma alternativa para o basquete em cadeira de rodas, que pudesse ser praticado por pessoas com menos funcionalidade nos braços e nas mãos.

A partida é jogada por quatro atletas em cada equipe em uma quadra com 28m x 15m (as mesmas medidas do basquete). O objetivo é passar da linha do gol com as duas rodas da cadeira e a posse da bola. O jogo tem quatro períodos de oito minutos e vence a equipe que tiver mais pontos. Em caso de empate, são jogados períodos extras de três minutos até que haja um vencedor. As equipes são mistas, podendo ter homens e mulheres competindo juntos.

Austrália e Estados Unidos na final da Rio 2016 - Foto: Bob Martin/OIS/IOC
A modalidade estreou em Jogos Paralímpicos em Atlanta 1996, ainda como esporte de demonstração, entrando no programa oficial em Sydney 2000. Estados Unidos, Canadá e Austrália são as principais potências do rugby em cadeira de rodas. Em Tóquio, vale ficar de olho também na equipe do Japão. Os japoneses conquistaram a medalha de bronze na Rio 2016 e venceram o último Campeonato Mundial em 2018.

Kurahashi Kae campeã mundial com a Seleção do Japão em 2018 - Foto: Divulgação/IWRF

CLASSIFICAÇÃO

Podem competir no rugby em cadeira de rodas homens e mulheres com tetraplegia ou com alto grau de comprometimento nos membros inferiores e superiores. Os atletas são divididos em sete classes: 0.5, 1.0, 1.5, 2.0, 2,5, 3.0 e 3.5 - de acordo com o grau de mobilidade. Quanto maior a motricidade do jogador, maior a sua nota. Geralmente, os atletas com classificações mais baixas jogam na defesa e os com pontuações mais altas atuam no ataque.

A somatória dos atletas em quadra não pode passar dos 8 pontos. Para cada mulher em quadra, a equipe ganha 0.5 ponto no limite. Por exemplo, um time com duas mulheres, pode somar até 9 pontos. Cada equipe tem quatro jogadores em quadra e oito reservas, que podem ser substituídos a qualquer momento, respeitando o limite de pontos.

HISTÓRICO DO BRASIL

O rugby em cadeira de rodas no Brasil é comandado pela Associação Brasileira de Rugby em Cadeira de Rodas (ABRC). A seleção brasileira participou apenas uma vez dos Jogos Paralímpicos, na Rio 2016, quando ganhou a vaga como país sede da competição. Em Jogos Parapan-Americanos, o rugby é disputado desde os de Toronto 2015. Nas duas edições, o Brasil terminou em quarto lugar.

Lance de Brasil x França na Rio 2016 - Foto: Alexandre Urch/MPIX/CPB
O Brasil não conseguiu se classificar para Tóquio 2020 no rugby em cadeira de rodas. Nos Jogos Parapan-Americanos, a vaga do continente ficou com os Estados Unidos que conquistou a medalha de ouro. A seleção brasileira ainda participou do Pré-Paralímpico Mundial, ficando em sétimo lugar (apenas as duas primeiras equipes se classificavam).

Equipe brasileira nos Jogos Parapan-Americanos Lima 2019 - Foto: Saulo Cruz/EXEMPLUS/CPB

EQUIPES PARTICIPANTES

Grupo A: Japão, França, Austrália e Dinamarca
Grupo B: Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha e Nova Zelândia

CALENDÁRIO

25/08 a 27/08 - fase de grupos
28/08 - semifinais
29/08 - decisão do bronze - 02h (horário de Brasília)
29/08 - final - 06h (horário de Brasília)

Nenhum comentário:

Postar um comentário