Guia Paralimpíadas Tóquio 2020: Esgrima em cadeira de rodas - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Guia Paralimpíadas Tóquio 2020: Esgrima em cadeira de rodas

Compartilhe

A ESGRIMA EM CADEIRA DE RODAS

esgrima em cadeira de rodas foi desenvolvida na década de 1950 pelo médico alemão Ludwig Guttmann, o pai do movimento paralímpico, no Hospital de Stoke Mandeville, no Reino Unido. O esporte foi usado para ajudar na recuperação de pacientes com lesão na medula, auxiliando a desenvolver a estabilidade do tronco.

A modalidade é disputada por pessoas com amputações, lesão medular ou paralisia cerebral. Os atletas ficam nas cadeiras de rodas que ficam fixas na área de competição. Durante uma partida, os esgrimistas não podem tirar o “traseiro” da cadeira e nem usar as pernas para gerar qualquer tipo de impulso.

Brasileiro Jovane Guissone (esq.) na final da espada masculina cat. B em Londres-2012 - Foto: Luciana Vermell/CPB
Os duelos são similares ao da esgrima olímpica, com os atletas fazendo pontos a cada toque no adversário. As armas também são as mesmas. A espada, o florete e o sabre. No florete, os toques devem ser feitos apenas no tronco do rival e com a lateral da arma. Na espada, os golpes são feitos com a ponta da arma em qualquer ponto acima do quadril do adversário. Já no sabre, os pontos podem ser feitos com a ponta ou a lateral da arma e em qualquer parte do corpo do oponente acima do quadril.

O esporte está presente nos Jogos Paralímpicos desde sua primeira edição em Roma-1960. França e Itália são os países que mais conquistaram medalhas paralímpicas na esgrima em cadeira de rodas. Mas desde a virada do século, China Hong Kong passaram a dominar a modalidade em Paralimpíadas.

Monica Santos (BRA) enfrenta Zhang Chui (CHN) na Rio-2016 - Foto: Alexandre Urch/MPIX/CPB

CLASSIFICAÇÃO

Os atletas da esgrima em cadeira de rodas são divididos em categorias de acordo com o grau de mobilidade do tronco. Eles são divididos nas categorias A, B e C, com a C sendo a de maior grau de comprometimento e não estando no programa dos Jogos Paralímpicos.

Categoria A: Atletas com mobilidade no tronco; amputados ou com limitação de movimento.

Categoria B: Atletas com menor mobilidade no tronco e equilíbrio.

Categoria C: Atletas com tetraplegia, com comprometimento do movimento do tronco, mãos e braços.

HISTÓRICO DO BRASIL


O Brasil fez sua estreia na esgrima em cadeira de rodas em Jogos Paralímpicos em Atlanta-1996, com Andrea de Mello. A brasileira conheceu a modalidade em 1993, depois de se mudar para os Estados Unidos, auxiliando na sua reabilitação após um acidente vascular cerebral. Andrea competiu em três Jogos Paralímpicos pelo Brasil (1996, 2000 e 2004) e em Pequim-2008 disputou a paralimpíada representando os Estados Unidos.

Em Londres-2012, o Brasil teve seu principal resultado no esporte. Jovane Guissone conquistou a medalha de ouro na espada masculina - categoria B. Na decisão, o brasileiro venceu Tam Chik Sum de Hong Kong por 15 a 14.

Jovane Guissone com sua medalha de ouro - Foto: Luciana Vermell/CPB
Na Rio 2016, oito brasileiros disputaram a modalidade. O melhor resultado, foi de Guissone que ficou em sexto lugar na espada individual, sendo eliminado nas quartas de final pelo ucraniano Oleg Naumenko que ficou com a medalha de bronze.

BRASILEIROS EM TÓQUIO-2020

Carminha Celestina Oliveira: Categoria A
Idade: 31
Participações paralímpicas: 0 
Medalhas: 0

Jovane Guissone: Categoria B
Idade: 38
Participações paralímpicas: 2 (Londres-2012 e Rio-2016)
Medalhas: 1 ouro (Londres-2012)

Mônica da Silva Santos: Categoria A
Idade: 38
Participações paralímpicas: 1 (Rio-2016)
Medalhas: 0

Vanderson Luís Chaves: Categoria B
Idade: 27
Participações paralímpicas: 1 (Rio-2016)
Medalhas: 0

DISPUTAS

Homens:
Florete individual - categorias A e B
Espada individual - categorias A e B
Sabre individual - categorias A e B
Florete por equipes
Espada por equipes

Mulheres:
Florete individual - categorias A e B
Espada individual - categorias A e B
Sabre individual - categorias A e B
Florete por equipes
Espada por equipes

CALENDÁRIO

24/08, a partir das 21h
Sabre masculino - categoria A - fase de grupos, oitavas e quartas
Sabre masculino - categoria B - fase de grupos, oitavas e quartas
Sabre feminino - categoria A - fase de grupos, oitavas e quartas
Sabre feminino - categoria B -  fase de grupos, oitavas e quartas

25/08, a partir das 03h30
Sabre masculino - categoria A - semifinais, disputa do bronze e final
Sabre masculino - categoria B - semifinais, disputa do bronze e final
Sabre feminino - categoria A - semifinais, disputa do bronze e final
Sabre feminino - categoria B - semifinais, disputa do bronze e final

25/08, a partir das 21h
Espada masculina - categoria A - fase de grupos, oitavas e quartas
Espada masculina - categoria B - fase de grupos, oitavas e quartas
Espada feminina - categoria A - fase de grupos, oitavas e quartas
Espada feminina - categoria B -  fase de grupos, oitavas e quartas

26/08, a partir das 05h
Espada masculina - categoria A - semifinais, disputa do bronze e final
Espada masculina - categoria B - semifinais, disputa do bronze e final
Espada feminina - categoria A - semifinais, disputa do bronze e final
Espada feminina - categoria B - semifinais, disputa do bronze e final

26/08, a partir das 20h30
Espada - equipe masculina - fase de grupos e semifinais
Espada - equipe feminina - fase de grupos e semifinais

27/08, a partir das 05h30
Espada - equipe masculina - disputa do bronze e final
Espada - equipe feminina - disputa do bronze e final

27/08, a partir das 21h
Florete masculino - categoria A - fase de grupos, oitavas e quartas
Florete masculino - categoria B - fase de grupos, oitavas e quartas
Florete feminino - categoria A - fase de grupos, oitavas e quartas
Florete feminino - categoria B -  fase de grupos, oitavas e quartas

28/08, a partir das 04h30
Florete masculino - categoria A - semifinais, disputa do bronze e final
Florete masculino - categoria B - semifinais, disputa do bronze e final
Florete feminino - categoria A - semifinais, disputa do bronze e final
Florete feminino - categoria B - semifinais, disputa do bronze e final

28/08, a partir das 20h30
Florete - equipe masculina - fase de grupos e semifinais
Florete - equipe feminina - fase de grupos e semifinais

29/08, a partir das 05h30
Florete - equipe masculina - disputa do bronze e final
Florete - equipe feminina - disputa do bronze e final
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário