Equipe brasileira do tiro com arco faz bonito na rodada de classificação - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Equipe brasileira do tiro com arco faz bonito na rodada de classificação

Compartilhe
Jane Karla atira em treinamento

O Brasil teve um bom desempenho na fase classificatória do tiro com arco nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Além da quarta colocação de Jane Karla Gögel que a credenciam para disputa de medalhas no Composto feminino, Rejane Candida da Silva e Helcio Perilo fizeram suas melhores marcas da carreira no W1 feminino e masculino, respectivamente, e também garantiram o Brasil na disputa de equipe mista. Completando os brasileiros que entraram em ação nesta noite de quinta, Fabiola Dergovics fez boa prova no Recurso e tem chances de avançar na chave.

Durante a madrugada, Andrey de Castro disputa o composto masculino e Heriberto Alves Roca participa do recurvo masculino a partir das duas da manhã. Confira como foram a participação dos brasileiros e suas chaves:


Jane Karla em busca da medalha

Participando de seus quartos Jogos Paralímpicos, Jane Karla Gögel fez bonito no Composto feminino. Antiga atleta do tênis de mesa, esporte no qual participou da Paralimpíada de Pequim-2008 e Londres-2012, ela busca um resultado melhor no tiro com arco do que o quinto lugar alcançado no Rio.

Campeã no Parapan de Toronto 2015, ela teve uma ótima manhã em Tóquio, marcando 688 pontos, se classificando em quarto lugar. Com bye na primeira rodada, ela enfrenta a vencedora do confronto entre a italiana Eleonora Sarti (13ª, com 672), campeã mundial em 2015, e a sul-coreana Choi Na Mi (20ª, com 652) já nas oitavas de final.


Melhores marcas da carreira no W1

Rejane Candida da Silva mostra tatuagem de Tóquio 2020 em treinamento


Outra brasileira que já brilhou em outro esporte é Rejane Candida da Silva, campeã do tênis no Parapan de 2015 que hoje se dedica ao Tiro com Arco. Ela terminou a classificação do W1 feminino em 11º com 525 pontos, marcando sua melhor marca da carreira.

Ela desafia às 6:21 da terça-feira (31) a britânica Victoria Rumary, que terminou em sexto, com 590 pontos. A adversária foi medalhista de bronze no mundial de 2017. A vencedora pega a italiana Asia Pellizzari, 3ª colocada, com 604 pontos.

Rejane participou dos Jogos Paralímpicos da Rio 2016, mas no tênis, caindo nas oitavas de duplas e na fase de dezesseis avos de individual. Campeã do Parapan de Toronto 2015, ela teve que abandonar o tênis após passar três meses no hospital em 2019 se recuperando de uma cirurgia na coluna. Apenas em setembro de 2020 ela escolheu o Tiro com Arco para se manter ativa e em poucos meses alcançou a classificação paralímpica.

Helcio Perilo em treinamento em Hamamatsu

Helcio Perilo é outro que mudou de esporte, depois de ter disputado o tiro esportivo por alguns anos. Em seus primeiros Jogos Olímpicos, ele também conseguiu a melhor marca da carreira, terminando em 10º lugar com 622 pontos na fase classificatória do W1 masculino.

Nas oitavas, ele desafia na manhã da segunda-feira (30), o sul-africano Shaun Anderson, que terminou em sétimo na fase inicial com 637 pontos. Em caso de vitória, ele enfrenta David Drahoninsky, da República Tcheca, que passou em 2º.

Com o resultado dos dois arqueiros, o Brasil se classificou em sétimo no W1 misto e desafia a República Tcheca, formada pela dupla Drahoninsky, que passou em 2º no masculino e Sarka Musilova, que passou em 7º no feminino. Os times se enfrentam às 6:10 do sábado (28).

No recurvo, Fabiola Dergovics tem bom resultado

Fabiola Dergovics atira em treino


Completando a participação brasileira na noite desta quinta-feira, Fabiola Dergovics marcou 572 pontos, e terminou em 11º lugar no recurvo feminino. Ela vai enfrentar na primeira rodada a norte-americana Emma Rose Ravish, que anotou 492 pontos e ficou em 22º. O jogo acontecerá às 23h da quarta-feira (1). A vencedora desafia a tailandesa Phattharaphon Pattaweo, que terminou em 5º lugar na fase de classificação.



Fotos: Takuma Matsushita/CPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário