Eduard Soghomonyan e Aline Silva caem na estreia do wrestling em Tóquio-2020 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Eduard Soghomonyan e Aline Silva caem na estreia do wrestling em Tóquio-2020

Compartilhe

Os brasileiros Eduard Soghomonyan e Aline Silva foram derrotados neste domingo (01º), no primeiro dia de wrestling na Olimpíada de Tóquio. Eduard caiu para o alemão Eduard Popp, por 2 a 0, na categoria até 130kg do estilo greco-romana, enquanto Aline perdeu para a turca Yasemin Adar, por 6 a 0, na luta livre até 76kg.


Tanto Eduard quanto Aline faziam suas estreias na competição, ainda nas oitavas de final. Como seus rivais foram eliminados logo na sequência, os brasileiros não puderam voltar à disputa pela repescagem. Popp, algoz de Eduard, caiu para o turco Riza Kayaalp por 6 a 2. Já Adar, carrasca de Aline, parou na norte-americana Adeline Gray nas quartas. 


Há três estilos no wrestling: greco-romana, livre e livre feminina. Apenas os homens cometem na greco-romana. Cada estilo é composto por seis categorias e, em cada uma delas, há 16 atletas. As disputas são iniciadas nas oitavas de final e, caso um atleta seja eliminado nas oitavas ou quartas, ele poderá ir à repescagem brigar pelo bronze desde que quem o derrotou chegue na final.  


Esta foi a segunda participação olímpica de Eduard Soghomonyan, que nasceu na Armênia mas se naturalizou brasileiro antes da Rio-2016 - na ocasião, foi eliminado ainda na primeira rodada. Aline, que tem 34 anos, também participou de sua segunda Olimpíada. Há cinco anos, ela parou nas quartas de final no Rio de Janeiro, após ter sido vice-campeã mundial em 2014.

“Eu dei meu máximo. É triste sair daqui sabendo que tudo que eu fiz, não foi o suficiente. Foi uma luta muito dura. Eu tinha que ter defendido melhor no primeiro round. A minha oponente se escondeu no resto da luta e eu não tive a chance de fazer melhor”, avaliou Aline sobre sua eliminação. Ela também se arriscou a falar sobre o futuro:


Eu gosto de pensar no esporte como algo que empodera. Esses devem ser meus últimos Jogos Olímpicos e eu passo a bola para a próxima geração. A gente quer acreditar que faz a diferença e que o caminho vai ser mais fácil para as outras meninas. E é isso que eu quero que aconteça.


Com Aline e Eduard eliminados, o Brasil conta agora com apenas uma representante no wrestling olímpico: Laís Nunes, que compete na categoria até 62kg. Ela entrará em ação na noite desta segunda-feira (02). A repescagem e a final acontecerão na quarta-feira (04). Giullia Penalber, uma das principais lutadoras do mundo na categoria até 57kg, não se classificou para Tóquio.


Fotos: Julio Cesar Guimarães/COB


Nenhum comentário:

Postar um comentário