Brasil perde para os Estados Unidos e fica com a prata no vôlei feminino em Tóquio 2020 - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Brasil perde para os Estados Unidos e fica com a prata no vôlei feminino em Tóquio 2020

Compartilhe
Reuters / Pilar Olivares

Em uma partida quase perfeita, os Estados Unidos venceram o Brasil por 3 sets a 0 e ficaram com o ouro do vôlei feminino. Com parciais de 25/21, 25/20 e 25/14, o time de Karch Kiraly conseguiu alcançar o inédito lugar mais alto do pódio dos Jogos Olímpicos. Já a seleção brasileira volta a conquistar uma medalha após caírem nas quartas de finais na Rio 2016.

Nove anos após se enfrentarem na final de Londres 2012, as duas equipes mediram força novamente pela medalha de ouro. Só que desta vez o cenário foi bem diferente. Sem a vibração de outras partidas, as brasileiras foram dominadas em quadra e não conseguiram reagir à forte seleção dos EUA, uma das favoritas em Tóquio.

No primeiro set as estadunidenses começaram melhor, quebrando o passe do Brasil com o saque e abrindo 4 a 0. Após o pedido de tempo do técnico Zé Roberto, as brasileiras reagiram. Entretanto, não o suficiente para o que desenhava o jogo naquele momento. 

Bastante confiantes, os Estados Unidos forçaram com ataques na saída de rede. Taticamente, as adversárias da seleção praticamente não erraram e ainda fecharam a porta para as principais atacantes. Foi usando bastante a Larson que as norte-americanas conseguiram manter a vantagem e fecharam em 25 a 21.

O Brasil voltou melhor no segundo set. Marcando os três primeiros pontos, parecia a reação. Mas as estadunidenses continuaram com bons saques e quebrando o passe das brasileiras. No contra-ataque, os EUA viraram bolas importantes e acabaram escapando na vantagem. 

Com um placar atípico para confronto desse nível, o 17 a 9 das rivais complicou a partida. Em uma sequência importante de ataques da equipe do Zé Roberto, a diferença foi para 23 a 19. Em um erro de saque da Carol Gattaz, as norte-americanas fizeram 2 a 0 com o 25 a 20.

Parecido com o anterior, o terceiro set começou com as brasileiras atacando e virando as bolas. Contudo, a vantagem sempre foi pela diferença mínima e as estadunidenses não deixaram desgarrar. E após dois ótimos bloqueios, viraram para 10 a 7

No pedido de tempo, o técnico do Brasil pediu mais vibração e falou em "brilho no olhar para reagir". Mas não surtiu o efeito esperado e os Estados Unidos continuaram bloqueando os ataques da Fernanda Garay.

Com a passagem da Larson no saque o estrago foi grande. Impedindo que Macris conseguisse distribuir as bolas, as norte-americanas mantiveram a média dos outros sets e viraram bolas decisivas. Após 25 minutos, a equipe de Kiraly venceu por 25 a 14 e conquistou a primeira medalha de ouro do país com um jogo tecnicamente perfeito.

Depois de um ciclo olímpico complicado para o Brasil, com lesões e reconstruções, a seleção volta para casa com a prata e um sentimento de dever cumprido. Apontada como "quarta força" do vôlei mundial antes das Olimpíadas, mostrou que continua como uma das principais potências.



Nenhum comentário:

Postar um comentário