Austrália e Nova Zelândia conseguem novas vagas olímpicas na ginástica - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Austrália e Nova Zelândia conseguem novas vagas olímpicas na ginástica

Compartilhe

No Pré-Olímpico de Ginástica da Oceania, a Austrália levou quase todas as vagas continentais disponíveis. A única exceção, foi a disputa da ginástica artística masculina, vencida por Mikhail Koudinov, da Nova Zelândia.

Koudinov recebeu 82.450 pontos no individual geral, levando a vaga continental. O ginasta “kiwi” terminou meio ponto à frente do australiano Mitchel Morgans, que somou 81.950. Jesse Moore, também da Austrália, ficou com o bronze com 81.750.


Já a ginástica artística feminina teve uma disputa doméstica australiana, vencida por Emily Whitehead. A ginasta não competia desde 2019, quando sofreu uma lesão nas costas, ficando fora da equipe da Austrália no Mundial daquele ano. Whitehead ficou com o ouro no individual geral com 51.900 pontos, superando Georgia Rose-Brown, considerada a favorita antes da competição que teve 51.550. Breanna Scott, ficou em terceiro lugar com 49.550.

Na semana passada, também foram realizados os pré-olímpicos do trampolim e da ginástica rítmica. No trampolim feminino, Jessica Pickering, da Austrália, venceu com 55.230. A neo-zelandesa Madaline Davison ficou próxima da vaga, mas recebeu apenas 55.150 pontos, levando a medalha de prata para casa. No masculino, Dominic Clarke venceu uma disputa entre três australianos, com 59.895 pontos.

A ginástica rítmica teve apenas a Austrália participando da competição, com o conjunto só “cumprindo tabela” para conquistar a classificação para Tóquio 2020. No individual, Lidiia Iakovleva terminou na primeira posição com 77.550, na soma das quatro apresentações, carimbando seu passaporte para a Olimpíada. Alexandra Kiroi-Bogatyreva, com 76.500 pontos e Ashari Gill, com 73.800, completaram o pódio.


Foto de capa: Divulgação/Oceania Gymnastics Union

Nenhum comentário:

Postar um comentário