COI pede que federações adotem games que simulem esportes de forma "física e não física"



O Comitê Olímpico Internacional (COI) deu mais um passo em aproximação aos eSports. Em encontro com membros neste sábado, a entidade que rege o movimento olímpico recomendou que as federações internacionais abracem jogos eletrônicos que simulam esportes tradicionais de duas formas diferentes: física e não física. O ciclismo e o futebol foram os exemplos citados.


A recomendação do COI se deu após mais uma apresentação do Esports Liaison Group, grupo montado pela entidade para discutir o relacionamento com o esporte eletrônico e que é presidido por David Lappartient, também presidente da União Ciclística Internacional (UCI). 


O dirigente fez notar uma divisão dentro do mundo dos games e dos eSports, separou o que chamou de esportes virtuais, ou seja, os games que simulam esportes tradicionais, de forma física ou não física, e categorizou como "gaming" os outros jogos que são  competitivos ou casuais.


Segundo a apresentação, os games de esportes tradicionais podem simular as modalidades de formas diferentes. Na física, o esforço físico do atleta é bastante semelhante ao do esporte na vida real. É o caso dos campeonatos de ciclismo na plataforma Zwift, nos quais os participantes competem pedalando uma bicicleta fixa, e a velocidade e movimentos são reproduzidos na tela. 


Já na não física, o esforço físico tende a ser mínimo e bastante diferente ao da vida real. É exemplo o futebol, com jogos como FIFA 21 e eFootball PES 2021, nos quais o jogador comanda um ou mais avatares por meio de um controle, sem replicar com o próprio corpo os movimentos que a modalidade demandaria na realidade.


"O congresso concordou que é essencial que as federações internacionais abracem tanto a forma física quanto a não física de seus respectivos esportes, com um foco em regulamentar a competição justa, respeitar os valores do esporte nessas formas virtuais e alcançar novas audiências. Com relação ao gaming, o congresso concordou que o contato será mantido com os gamers como uma porta de entrada para promover atividade física e os valores do esporte para as gerações jovens", disse o COI em nota.


A medida do COI visa valorizar os esportes tradicionais ao mesmo tempo em que busca revigorar a audiência das próprias modalidades e eventos. Ela também rejeita games violentos por incompatibilidade com os valores olímpicos.  O COI ressalta também que, neste momento, não está nos planos da entidade reconhecer os eSports como esporte, nem reconhecer uma federação internacional para o esporte eletrônico ou adicioná-lo ao programa olímpico.


Tanto a UCI quanto a Fifa já estimulam o que foi pedido pelo COI. A entidade que comanda o futebol organiza o FIFA eWorld Cup (antiga FIFA Interactive World Cup) desde 2004 enquanto a federação de ciclismo promoveu a primeira edição do UCI Cycling Esports World Championships, o primeiro campeonato mundial de ciclismo virtual da federação, recentemente. 


Desde 2018, o COI vem estudado um maneira de se envolver com os eSports, com a entidade chegando até a apoiar um torneio do jogo Starcraft II disputada em Pyeonghchang, na Coreia do Sul, antes dos Jogos Olímpicos de Inverno.


Foto: Divulgação/Zwift

Com informações de globoesporte.com


Comente

Postagem Anterior Próxima Postagem