Ginástica de Trampolim inicia treinamento em Portugal, na Missão Europa - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Ginástica de Trampolim inicia treinamento em Portugal, na Missão Europa

Compartilhe




Desde a última segunda-feira (16), a Seleção Brasileira de Ginástica de Trampolim  iníciou os treinos no Centro de Treinamento em Sangalhos, Portugal. O mesmo local foi utilizado, em julho e agosto, pelas seleções de Ginástica Artística e Ginástica Rítmica para a retomada das atividades na Missão Europa.


Camilla Gomes, brasileira mais bem posicionada na corrida pela vaga olímpica, avalia que a iniciativa de levar a seleção de Ginástica de Trampolim para a Missão Europa, parceria da Confederação Brasileira de Ginástica e Comitê Olímpico do Brasil, veio em boa hora. Camilla treina em Middleton, em Nova Jersey, mas a nova onda de casos de covid-19 nos Estados Unidos torna incerta a continuidade dos treinamentos por lá. “A situação está relativamente tranquila aqui até o momento, mas o número de casos está começando a subir novamente e não sei como estará daqui a algumas semanas. Caso entremos em lockdown de novo não sei como vai ficar”, diz a ginasta, que em abril vai tentar carimbar seu passaporte olímpico na etapa de Brescia da Copa do Mundo.


Camilla festeja a oportunidade de fazer parte de um período de treinos da Seleção Brasileira. “Essa possibilidade nos motiva mais. Um puxa o outro para dar o seu melhor. Aqui não tenho outra atleta do meu nível para trabalhar junto. É por isso que acho super-importante (a Missão Europa)”.


Tatiana Figueiredo, que orienta Camilla na disputa de competições nacionais, também está empolgada com esse período de trabalho no outro lado do Atlântico. “Esse suporte da CBG e do COB nos motiva bastante. É uma oportunidade muito boa para reunirmos treinadores e atletas, traçarmos objetivos. A Camilla e a Alice Gomes, que disputam o sincronizado, nunca têm a chance de treinarem juntas. Desta vez terão”, ressalta Figueiredo, se referindo à modalidade trampolim sincronizado, que não faz parte do programa olímpico. 


Alice destaca a importância da viagem para aumentar o grau de coesão do grupo. “Isso é muito bom para fortalecer nosso espírito de equipe”, diz a ginasta, que também aposta em suas chances de obter classificação olímpica.


No último Mundial, disputado em novembro de 2019, em Tóquio, o ToF de Alice foi o mais alto na categoria feminina. O ToF (time offlight, ou tempo de voo), é obtido com o auxílio de uma câmera, que computa o tempo que decorre entre os momentos em que o atleta toca o trampolim. A partir da diferença, calcula-se a altura que o ginasta atinge. “Fiz a série mais alta da competição inteira e fiquei muito feliz ao receber os elogios do David Ross”, comenta Alice, referindo-se ao treinador e fabricante de trampolins que é apontado como um dos artífices do enorme sucesso da Ginástica de Trampolim canadense no cenário internacional.


“O ToF entra na nota. Com esse tipo de resultado, a Alice passa a ser mais bem vista e chama a atenção da arbitragem. Em Sangalhos os atletas vão ficar focados totalmente nos treinos, o que será importante no nosso processo de trabalho”, diz Alexandro Rungue, um dos dois treinadores que irão a Portugal.


Rayan Dutra, colega de Alice no Minas Tênis Clube, avalia que o training camp será importante para que ele evolua, após a pausa forçada nos treinamentos pela pandemia. “Voltei bem focado. Diria que estou nuns 80% da minha condição física. Ainda não faço todas as minhas séries. Nas primeiras semanas, aproveitei para brincar um pouco, sem grandes responsabilidades imediatas. Foi um momento de reencontro com o aparelho”, afirma o atleta, que retomou os treinos no final de agosto. “Em Portugal vou dar continuidade ao meu trabalho de fortalecimento físico”.


Uma das faces novas da delegação em Portugal será a de Lucas Junio Tobias, do Instituto Trampolim, de Ouro Preto (MG). O jovem mineiro, de apenas 20 anos, já tem no currículo o ouro no Mundial de Sofia-2017 e a prata no de São Petersburgo-18 nas disputas por idades no Duplo-Mini, modalidade não olímpica. “Estou muito feliz de poder fazer parte desse grupo que vai trabalhar em Portugal. É uma oportunidade valiosa para eu poder ganhar bastante experiência”, diz Tobias, que também quer colher ganhos no seu preparo físico.


Foto: COB/Wander Roberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário