Participante de projeto do Comitê Paralímpico Brasileiro relata em live mudança na qualidade de vida - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Participante de projeto do Comitê Paralímpico Brasileiro relata em live mudança na qualidade de vida

Compartilhe

A Live Paralímpica de quarta-feira, 5, abordou o projeto Movimente-se, a primeira plataforma de atividade física para pessoas com deficiência, e os impactos dessa iniciativa na vida da pessoa com deficiência. 

A transmissão, realizada na página do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) no Instagram, contou com a participação do nadador Roberto Alcalde, dos professores do Movimente-se Fábio e Henrique e Tatiane Costa, participante da plataforma de exercícios e colaborada da Caixa.

Lançado no início de junho, o Movimente-se oferece aulas gratuitas e voltadas exclusivamente a deficientes físicos e visuais. O projeto tem como objetivo democratizar a prática de exercício físico para cadeirantes, paralisados cerebrais, amputados e deficientes visuais que nunca praticaram atividade física ou que não possuem orientação profissional.

No bate-papo, Tatiane, 34, contou os efeitos dos exercícios do Movimente-se na sua rotina diária. “Eu estava sentindo dores, melhorou muito depois dos exercícios. Faço as aulas para amputados e algumas para deficientes visuais quatro vezes por semana. O Movimente-se mudou a minha vida! Até a minha filha faz comigo os exercícios, é para todo mundo, inclusive crianças”, contou Tatiane Costa que perdeu parte dos movimentos do pé esquerdo e tem encurtamento da perna devido a um acidente doméstico aos 8 anos.

Henrique, preparador físico da natação, ressaltou os benefícios do exercício físico. “A prática da atividade física, independente se ela tem uma deficiência ou não, traz uma melhora na qualidade de vida absurda. Melhora o sono, melhora a disposição para as atividades da vida diária, o coração funciona melhor. Especialmente para a pessoa com deficiência, a prática de atividade física traz autonomia. Para um cadeirante, por exemplo, uma transferência da cadeira para o sofá. Ajuda demais as pessoas no dia a dia”, explicou Henrique.

Roberto, campeão parapan-americano nos 100m peito em Lima 2019, destacou a importância do Movimente-se para a autoestima e autoconhecimento da pessoa com deficiência. “Um projeto como Movimente-se traz a confiança de que a gente pode fazer muita coisa, conhecer o próprio corpo. Muitas pessoas com deficiência não sabem o que podem fazer e é sempre bem mais do que ela acredita que pode”, disse Roberto, que participa do projeto exemplificando os exercícios para cadeirante. 

Tatiane contou na transmissão ao vivo que praticar exercício sempre foi um problema para ela por falta de profissionais capacitados para lidar com a sua deficiência. "Sempre fiquei frustrada em relação a fazer exercícios. Quando soube do Movimente-se quis logo conhecer. Eu falo para todos os deficientes que trabalham comigo para fazerem também".

O técnico da Seleção Brasileira de atletismo Fábio Dias relatou o quanto o é perceptível se uma pessoa pratica exercício físico ou não. “Eu percebo por exemplo quando uma pessoa com deficiência visual faz ou não atividade física em situações simples e até desagradáveis como um tropeço, esbarrão em objetos. Quem faz exercício não se desequilibra tão fácil”, comentou Fábio que começou a sua carreira no paradesporto como atleta-guia.

No bate-papo, o lançamento do módulo 2 foi anunciado. Na próxima segunda-feira, 10, o CPB lançará o segundo módulo do Movimente-se. Todas as aulas do primeiro módulo continuam disponíveis. Acesse a plataforma em www.movimentoparalimpico.com.br

Roberto finalizou a transmissão com um recado a todos que utilizam o Movimente-se para fazer exercício físico. “Tem hora que parece muito difícil, o segredo é constância. Coloca na rotina e continua que o resultado vem. Quando você menos espera vai conseguir fazer algo que não conseguia antes”.

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário