Nadadora japonesa Rikako Ikee mira Paris 2024 após 10 meses de internação por leucemia - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Nadadora japonesa Rikako Ikee mira Paris 2024 após 10 meses de internação por leucemia

Compartilhe

Lutando desde fevereiro de 2019 contra uma leucemia linfóide aguda, a nadadora japonesa Rikako Ikee está de olho nos Jogos Olímpicos de Paris 2024. Após ficar até dezembro do ano passado internada por causa de seu tratamento, ela já planeja voltar as competições em outubro, pelo campeonato universitário do país. A atleta defenderá a Universidade de Nihon, na qual se matriculou durante sua reabilitação. 

"Meu objetivo atual é o campeonato intercolegial do Japão. Estou praticando muito, acreditando que haverá um torneio", disse a quinta colocada dos 100m borboleta nos Jogos Olímpicos Rio 2016. 

Mesmo com o adiamento das Olimpíadas de Tóquio para 2021, Ikee reiterou seu interesse em preparar-se para Paris 2024. "Os Jogos foram adiados por um ano, e esperava-se que eu competisse, mas estou pensando em 2024. Espero construir uma base sólida, já que não estou mais presa às Olimpíadas do ano que vem". 

No próximo sábado (4), Ikee completa 20 anos, que além de ser a idade para atingir a maioridade, é um marco comemorado dentro da cultura japonesa. E a nadadora determinou metas para essa nova fase. 

"Minha aspiração de 20 anos é competir em algum tipo de evento, obter uma leitura precisa do meu status atual e, em seguida, encontrar mais e mais maneiras de me fortalecer", disse ela.

Ikee se destacou nos Jogos Asiáticos de 2018 em Jacarta, na Indonésia, ao conquistar seis medalhas de ouro e duas de prata, vencendo as provas mais rápidas da natação, como os 50m e 100m nado livre e 50m e 100m borboleta. 

No Campeonato Pan-Pacífico de 2018, Ikee faturou mais quatro medalhas, uma de ouro, uma de prata e duas de bronze, ficando na frente da nadadora norte-americana Katie Ledecky, na prova de 200m nado livre. 

Sob a tutela da nova treinadora, Isamu Nishizaki, a japonesa fez uma avaliação sobre seu desempenho atual. "Acho que minha capacidade de nadar voltou ao nível no meu primeiro ou segundo ano do ensino médio", disse ela.

Treinando quatro vezes por semana mesmo durante a pandemia, a nadadora japonesa se mantém otimista em relação a sua evolução. "Sinto que estou ficando mais forte a cada dia", concluiu. 

Foto: Peter H. Bick

Nenhum comentário:

Postar um comentário