Dia Mundial do Rock: Bruce Dickinson, do Iron Maiden, e sua carreira na esgrima - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Dia Mundial do Rock: Bruce Dickinson, do Iron Maiden, e sua carreira na esgrima

Compartilhe

Bruce Dickinson é mais conhecido por seu trabalho como vocalista do Iron Maiden, uma das maiores bandas de heavy metal do mundo e que já vendeu cerca de 90 milhões de discos ao longo de mais de 40 anos de existência. Bruce é um homem multitarefa, pois além de seus trabalhos com a música, também atua como ator, roteirista, piloto, empresário no ramo da aviação, dentre outras atividades.

Outra aptidão deste astro do rock é ser esgrimista. Ele iniciou sua carreira na Boarding School em 1971, aos 13 anos de idade, depois que a equipe de rugby do colégio percebeu que ele não tinha biotipo para praticar a modalidade. Bruce precisava encontrar um esporte em que pudesse descarregar as suas agressões, mas sem deixar de usar o cérebro. Foi daí que ingressou na equipe de esgrima, tendo uma boa atuação. Dois anos depois, foi lhe oferecido o posto de capitão do time. Porém, nesta época, Dickinson estava mais interessado em paquerar mulheres e beber cerveja nos pubs.

Ele parou com a esgrima até o final da turnê do Piece of Mind, quarto álbum do Iron Maiden, em que já estava no comando da banda. Com o fim da turnê, em 1983, Mr. Dickinson reiniciou a carreira na modalidade, mas desta vez treinando com muito mais seriedade do que na adolescência. Nas turnês seguintes, Bruce sempre levava junto consigo a sua espada de esgrima e isso lhe rendeu muito treino, pois sempre se esforçava ao máximo para treinar sempre que possível, onde quer que fosse. Participou de várias competições e com isso ganhava cada vez mais experiência. 

Em 1988, Dickinson chegou a ser chamado para ser o capitão da equipe britânica de esgrima para os Jogos Olímpicos de Seul, mas teve que recusar a convocação já que estava em turnê com o Iron Maiden. Porém, no ano seguinte, representou a Grã Bretanha na Copa Europeia ficando em sétimo lugar. Bruce teve treinadores de respeito, entre eles o alemão Emil Beck, que fez cenas de esgrima no filme Os Três Mosqueteiros de 1948.

Também em 1988, ele fundou uma empresa chamada Duellist, com o objetivo de promover a esgrima no Reino Unido com produtos de ótima qualidade e com preço acessível. Com isso, a empresa cresceu rapidamente no mercado e anos mais tarde patrocinou o esgrimista James Williams, único atleta da modalidade que representou a Grã Bretanha nos Jogos Olímpicos de Atlanta.

Bruce Dickinson com Marcos Cardoso, técnico do Pinheiros. Foto: Divulgação/Pinheiros

Em visita ao Brasil durante a Somewhere Back In Time World Tour em 2009, Bruce Dickinson foi ao Clube Pinheiros, em São Paulo, para um desafio proposto pelo esgrimista brasileiro Renzo Agresta. Em 2013, duelou com o norueguês Bartosz Piasecki, medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 na espada individual. O norueguês elogiou Dickinson: "“Ele é durão. É baixinho mas incrivelmente rápido, esse é seu forte. Ele parecia o Rocky quando chegou de roupão e seu kit de esgrima”.

Em janeiro de 2020, Dickinson foi designado como capitão honorário de esgrima da RAF (Royal Air Force), a Força Aérea Real da Inglaterra. Ele participaria do RAF Fencing Open, um evento de esgrima que aconteceria no mês de junho em Albrighton, mas o evento foi adiado em razão da pandemia do COVID-19.

Música sobre esgrima

Em 1984, o Iron Maiden lançou o seu quinto álbum intitulado Poweslave. Na quinta faixa do disco está a música The Duellists ("Os Duelistas" em português). A música fala sobre dois homens que duelam na esgrima até a morte. Foi o jeito que Bruce encontrou para falar do esporte na banda.

Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário