Levantamento de pesos poderá sair do programa olímpico devido escândalos de corrupção, dispara Bach - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Levantamento de pesos poderá sair do programa olímpico devido escândalos de corrupção, dispara Bach

Compartilhe

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, afirmou durante uma coletiva de imprensa virtual na última quarta-feira (10), que, se as investigações em andamento confirmarem novos casos de corrupção na Federação Internacional de Levantamento de Peso (IWF), o esporte poderá perder seu lugar nos Jogos Olímpicos.

Um relatório independente divulgado na semana passada, produzido pelo  professor especializado em direito do esporte, Richard McLaren, apontou diversos casos de corrupção orquestrados pelo ex-presidente da IWF, Tamás Aján. 

A investigação cita o desaparecimento de mais de US$ 10 milhões do caixa da organização, a ocultação de 40 testes positivos para doping, além de indícios de compra de votos nos dois últimos congressos eleitorais. 

"Estamos profundamente preocupados e chocados com este relatório e com o escopo dessas atividades refletidas com relação ao antidoping e ao tipo de governança", disse o presidente do COI. “Deixamos bem claro, dependendo dos resultados das conclusões da comissão de supervisão da IWF, que nos reservamos o direito de aplicar medidas de longo alcance, incluindo, entre outras, a questão do levantamento de peso no programa dos Jogos Olímpicos", disparou Bach.

Bach declarou apoio às investigações e a nova liderança da IWF, para que a entidade "seja reformada" e que aumentem os esforços para tornar o sistema antidoping independente da federação. 

O presidente do COI concluiu sua fala em relação a IWF, confirmando que não permitirá a participação de funcionários da entidade que estejam implicados no inquérito em andamento, em tudo que esteja relacionado aos Jogos Olímpicos de Tóquio.

"Essas autoridades não serão aceitas pelo COI em torno da mesa nas reuniões de preparação para Tóquio", disse Bach.

Foto: Denis Balibouse/Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário