Isaquias Queiroz reafirma desejo de conquistar medalhas para Jesus Morlan e não teme calor em Tóquio: "Os europeus é que vão sofrer" - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Isaquias Queiroz reafirma desejo de conquistar medalhas para Jesus Morlan e não teme calor em Tóquio: "Os europeus é que vão sofrer"

Compartilhe


Isaquias Queiroz foi um dos finalistas do prêmio Brasil olímpico 2019, mas ele não conseguiu conquistar o quarto troféu e se isolar como maior vencedor do prêmio- o vencedor foi Arthur Nory. Mas ele levou com bom humor essa 'derrota', já que teve um bom ano, com os objetivos alcançados:

"O ano foi ótimo. Admito que comecei meio mais ou menos, nas copas do mundo, no pan-americano, mas depois veio a medalha no mundial e a vaga olímpica...Só faltou ganhar esse prêmio Brasil Olímpico aí (risos). Agora é trabalhar para 2020 para conquistar o nosso objetivo principal, que é a medalha olímpica." disse Isaquias em entrevista exclusiva ao surto olímpico.

Sincero como sempre, Isaquias revelou que 2019 a carga de treinamentos foi abaixo do esperado, ou seja, ficou faltando treinamento na planilha que o falecido técnico Jesus Morlan deixou: Não foi 100% pq faltou tempo de treinamento principalmente pro C2 (Onde ele faz dupla com Erlon Souza). Chegamos no mundial e eu e o Erlon não estávamos tão preparados, mas ao menos conseguimos a vaga olímpica, mas a gente sabe que temos muito a melhorar. No C1 também, eu tenho que melhorar mais ainda, não remei 100%. Mas acredito com mais treinamentos, seguindo o planejamento certinho, a gente vai chegar bem preparado para Tóquio"

Questionado se por conta das medalhas conquistadas na Rio 2016 e pela fama adquirida, ele esperava algum tipo de expectativa por parte do público para que ele tenha um bom resultado em Tóquio, ele foi enfático: "Isso não chega a me abalar não. 'Ah você tem três medalhas e vai ter mais pressão', não tem isso. Se tiver pressão, aí que eu gosto mais ainda. porque aí eu vejo que as pessoas estão vendo o meu trabalho, torcendo por mim nas provas e isso me dá mais motivação ainda."

Isaquias Queiroz também contou suas expectativas para os jogos de Tóquio: "Vai ser aquela coisa: Se eu fizer direito o trabalho de casa, eu vou ter certeza que vou ir bem. Se eu eu chegar lá não tão bem treinado, aí vou ficar mais preocupado. Em 2016, eu fiz tudo certinho, treinei, cheguei bem confiante. Agora, só com duas provas olímpicas, o objetivo é ganhar as duas medalhas para o Jesus Morlan. Sei que ele não estará fisicamente, mas ele vai estar junto com a gente na nossas mentes e a gente espera conquistar isso tudo para ele."

um assunto bem falado sobre Tóquio é sobre o possível calor que estará durante os Jogos e na canoagem, disputada ao ar livre, isso pode afetar os adversários. Bem, para Isaquias, isso não vai ser um problema e sim um trunfo ao seu favor: 

"Vai ser ótimo! Quem tem que se preocupar com isso são os alemães, os russos, eles é que vão sentir muito calor, porque treinam no frio. Eu treino em Minas Gerais e dizem que a Bahia é quente, mas onde nasci em Ubaitaba o clima é bom. Onde que eu treino em Lagoa Santa é que é muito mais quente. O Calor no Japão não me preocupa nem um pouco, pra mim isso vai ser um ponto positivo em relação aos adversários. Aqui no Brasil a gente treina sempre debaixo de sol, ao contrário dos canoístas da Europa que remam no frio, debaixo de neve... Os europeus é que vão sofrer bastante!"

foto: Abelardo Mendes Júnior/rededoesporte.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário