Comitê Paralímpico Brasileiro encerra 2019 e comemora liderança nas Américas e campanhas nos Mundiais - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Comitê Paralímpico Brasileiro encerra 2019 e comemora liderança nas Américas e campanhas nos Mundiais

Compartilhe

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) celebra o encerramento da temporada 2019 com os excelentes resultados dos brasileiros em competições internacionais.

Em 2019, o calendário esportivo contou com campeonatos mundiais de 10 modalidades: atletismo, canoagem, ciclismo (pista e estrada), esgrima em cadeira de rodas, futebol de 7, halterofilismo, natação, parabadminton, parataekwondo e tiro esportivo, além dos Jogos Parapan-Americanos de Lima.

A bandeira brasileira compôs as ceminônias de pódios nessas competições em 377 vezes, das quais 145 o pavilhão tremulou no ponto mais alto.

No Parapan de Lima, o Brasil conquistou 308 medalhas e ficou no primeiro lugar do quadro geral do evento. Ao todo, 248 atletas foram premiados nos 10 dias de competição. O maior medalhista do Parapan foi o nadador pernambucano Phelipe Rodrigues (classe S10) com oito medalhas. Entre as mulheres, as atletas que mais laureadas foram as nadadoras potiguar Cecília Araújo (S8) e mineira Laila Suzigan (S6), com sete medalhas cada uma.

Em uma análise da faixa etária dos medalhistas, os atletas com até 23 anos da delegação brasileira conquistaram 107 medalhas, sendo 70 medalhistas. Com este resultado, os jovens do país ficariam em 5º lugar no quadro geral dos Jogos.

Logo após o Parapan de Lima, os nadadores brasileiros viajaram para Londres para o Campeonato Mundial da modalidade. O Brasil deixou a capital britânica com o 11º lugar no quadro de medalhas, com cinco ouros, seis pratas e seis bronzes, e um total de 17 pódios.

Em novembro foi a vez do atletismo disputar o Mundial, em Dubai. O Brasil encerrou a disputa no segundo lugar do quadro-geral de medalhas. Os brasileiros subiram ao pódio 39 vezes, com 14 ouros, nove pratas e 16 bronzes. 

Em julho, o Brasil conquistou uma prata no Mundial de Halterofilismo na disputa por equipes, prova inédita na competição, com Bruno Carra, Mariana D’Andrea e Evânio Rodrigues.

Somente nos Jogos de Lima e nos Mundiais de atletismo, halterofilismo e natação os brasileiros estabeleceram 66 recordes.


Em 2020, o calendário contará com os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 e o Brasil já garantiu 79 vagas em 12 modalidades (atletismo, bocha, canoagem, ciclismo, futebol de 5, goalball, natação, remo, tênis de mesa, tiro com arco, tiro esportivo, vôlei sentado).

Foto: Alê Cabral/CPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário