Natalí de Faria mira ouro na Bocha em Tóquio 2020 após ser finalista na BISFed 2019 em São Paulo - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Natalí de Faria mira ouro na Bocha em Tóquio 2020 após ser finalista na BISFed 2019 em São Paulo

Compartilhe
Nesta semana, o Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, recebe a etapa das Américas da BISFed 2019. A competição conta com 63 competidores de dez países e dá vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 para o país do campeão de cada classe. Nesta quinta-feira, 3, Maciel de Souza Santos, da classe BC2, e Eliseu dos Santos, da classe BC3, garantiram vagas para o Brasil. A vice-campeã da BC2, Natalí de Faria, também projeta sucesso na próxima Paralimpíada.

“Minha expectativa é que nós todos do Brasil tenhamos um resultado excelente. Tenho certeza que iremos ter, porque estamos trabalhando muito para isso. São apenas detalhes que precisamos acertar. Meu sonho é ser campeã paralímpica e eu vou realizar, com certeza”, afirma Natalí.

A atleta nasceu com paralisia cerebral por falta de oxigenação na hora do parto. Ela só conheceu a bocha aos 20 anos, no local onde fazia fisioterapia. “Lá tinha como jogar bocha, para recreação, mesmo. Me chamaram para fazer entrevista com o Moisés, técnico da bocha. Ele tinha um clube no Guarujá. Ele me explicou as regras e logo no primeiro treino eu consegui colar a bola na bola branca. Eu perguntei: ‘É só isso’?"

Foram alguns anos para Natalí começar na bocha. Mas no mesmo ano que começou no esporte, em 2010, foi convocada para o Mundial em Portugal. De lá para cá, foram muitas presenças em competições internacionais, além das Paralímpiadas de Londres 2012. Dessas competições, ela trouxe algumas medalhas: prata no Parasul-Americano em Santiago, em 2014; prata na Copa América na Colômbia em 2017; prata no Mundial no Canadá, em 2018 e 2019.

“Desde que eu comecei na bocha, tiveram muitas mudanças. Passei a ser mais independente, melhorou a questão financeira. Tudo melhorou bastante.”

BISFed 2019
Até agora, o Brasil conquistou sete medalhas nas provas individuais: duas de ouro, três de prata e duas de bronze. As medalhas de ouro garantiram duas vagas brasileiras nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

As disputas eliminatórias em dupla e por equipe iniciaram nesta sexta-feira, 4. As classes BC1 e BC2 foram uma única equipe, enquanto BC3 e BC4 jogam em pares, separados em suas classes.

Na classe BC3, todos os países se enfrentam. Quem tiver o maior número de vitórias é o vencedor. O mesmo acontece com as classes BC1 e BC2. Na classe BC4, os dois primeiros de cada chave se classificam para a semifinal.

Foto: CPB/EXEMPLUS

Nenhum comentário:

Postar um comentário