Após Toronto, disputa pela vaga Olímpica no Badminton fica acirrada - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Após Toronto, disputa pela vaga Olímpica no Badminton fica acirrada

Compartilhe

Após a competição de badminton nos Jogos Pan-Americanos, que aconteceram em Toronto, no Canadá, a disputa pela classificação olímpica entre os atletas brasileiros nas categorias simples masculina e feminina ficou ainda mais acirrada. Por ser a sede dos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro, o Brasil tem direito a uma vaga para os homens e outra para as mulheres. Pelo ranking mundial, atualizado toda quinta-feira, a Seleção ainda pode ter representantes nas duplas masculina, feminina e mista.

Entre as mulheres, Lohaynny Vicente subiu da 68ª posição no ranking para 64ª. Ela soma 21.753 contra 21.425 de Fabiana Silva, que caiu de 64ª do mundo para 66ª, pois tinha pontos a defender do Pan-Americano de Badminton de 2014, quando ficou em terceiro – nos Jogos Pan-Americanos foi 7ª. A pequena diferença na pontuação entre as duas atletas evidencia que a disputa pela vaga olímpica será intensa até 5 de maio de 2016, data em que a Federação Mundial de Badminton (BWF) divulgará os classificados.

No masculino, Ygor Coelho reagiu e diminuiu a diferença para Daniel Paiola. A jovem revelação subiu da 97ª colocação para 79º, com 19.265 pontos. Atual melhor brasileiro no ranking mundial, Paiola caiu de 68º para 75º, com 20.206 pontos. Oitavo colocado nos Jogos Pan-Americanos, ele perdeu pontos pois tinha ficado em 3º no Pan-Americano de Badminton em 2014. Alex Tjong deixou o top 100, saindo da 99ª posição para 109º, com 15.660 pontos.

“O Pan foi muito positivo para a Lohaynny. A disputa no feminino está muito próxima, a vaga olímpica está em aberto e acho que vai ser assim até o último momento. No masculino, o Ygor aproveitou que não tinha pontos para defender do ano passado e diminuiu a diferença para o Daniel. Essa competitividade dentro do grupo é muito boa, pois não permite que nenhum atleta relaxe”, afirmou o Superintendente de Gestão Esportiva da Confederação Brasileira de Badminton (CBBd), José Roberto Santini Campos.

Nas duplas, a inédita medalha de prata conquistada nos Jogos Pan-Americanos ajudou Paiola e Hugo Arthuso a subirem boas posições no ranking mundial. Eles saíram da 85ª colocação para 62º, com 20.241 pontos. No feminino, como repetiram este ano a prata de 2014, Lohaynny e Luana Vicente permaneceram no 35º lugar, com 29.373 pontos. Paula Beatriz e Fabiana Silva estão em 43º, com 25.792.

Nas mistas, o bronze nos Jogos Pan-Americanos beneficiou Alex e Lohaynny. Os dois subiram dez posições no ranking: de 62º para 52º, com 22.646 pontos. Hugo e Fabiana estão na 67ª colocação, com 16.910, enquanto Daniel e Paula estão em 88º, com 13.445.

Como os Jogos Olímpicos contam com a participação de 16 duplas em cada categoria, a CBBd calcula que as parcerias precisam estar entre 20 e 25 do mundo para conquistarem a vaga na Rio 2016.

No ranking por países, o Brasil aparece na 21ª colocação. “É maravilhoso. Nesta lista, somam-se todos os resultados dos atletas. Este ano voltamos a disputar a Copa Sudirman, uma competição por países de muito prestígio. Acho que podemos fica entre os 18 do mundo, quem sabe entrar no top 15. Seria fantástico”, analisou Santini.

Foto: Badmintonphoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário